A exposição, montada no Parque das Nações, apresenta cenários, adereços e guarda-roupa que recriam ambientes dos filmes que adaptaram a série literária da autora inglesa J. K. Rowling, publicada entre 1997 e 2007.

Antecipando a afluência à exposição, Álvaro Covões explicou que estão a ser vendidos bilhetes para dias e horas específicas de entrada e que a expectativa é que seja vista por cerca de 200 mil pessoas até ao final, a 08 de abril de 2020.

"Não queremos que as pessoas se aborreçam em filas", disse Álvaro Covões à Lusa no final de uma apresentação da exposição à imprensa, onde estiveram também os atores James e Oliver Phelps - os gémeos Weasley da série -, os ‘designers’ Miraphora Mina e Eduardo Lima e o produtor norte-americano Frank Torres.

A exposição, cuja produção e montagem custou cerca de 2,5 milhões de euros, chega a Lisboa depois de ter sido apresentada noutros países ao longo da última década, nomeadamente nos Estados Unidos, Austrália, Canadá, Suécia, França, China e Espanha.

"Lisboa estar neste calendário do circuito das grandes exposições é algo que é muito importante para os portugueses, para terem acesso ao conteúdo que a exposição oferece, e obviamente para valorizar o destino. Não basta ter bons hotéis, restaurantes e aeroportos. Precisamos de ter bons conteúdos, diferentes e novos", disse Álvaro Covões.

A exposição ocupa uma área de quase dois mil metros quadrados, numa estrutura gigante montada debaixo da pala do Pavilhão de Portugal, mas o promotor admitiu que não foi fácil encontrar o espaço adequado.

"Temos chamado a atenção das entidades competentes que temos de, em conjunto, encontrar soluções e dotar o país de infraestruturas para receber grandes exposições mundiais. A última galeria de exposições temporárias construída em Lisboa foi há 25 anos - o CCB -, no Porto foi há 20 anos - Serralves. E isso é muito pouco", disse Álvaro Covões.

Em "Harry Potter: A exposição", os visitantes podem ver, por exemplo, recriações de cenários de várias personagens, como o quarto de Harry Potter, a cabana de Hagrid, vestidos de Hermione, o salão nobre da escola de magia de Hogwarts - com um vitral e velas suspensas -, equipamentos desportivos de Quidditch, o jogo inventado por J. K. Rowling, criaturas mágicas e a floresta proibida.

Frank Torres, um dos produtores internacionais do projeto, explicou que o objetivo é que a exposição, dividida em várias áreas e ambientes, seja uma experiência imersiva para que o visitante se sinta dentro dos filmes.

A exposição ficará patente até 8 de abril.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.