A informação foi hoje dada pelo presidente da CVP, Francisco George, numa conferência de imprensa em Lisboa durante a qual foi apresentado o projeto “Músicos por Moçambique”, uma iniciativa dos músicos João Gil e Rui Veloso.

A CVP está há um mês em Moçambique, com um hospital de campanha, para apoiar as populações vítimas do ciclone Idai, que no mês passado atingiu o centro do país, provocando mais de 600 mortes, além de milhares de desalojados.

Ouvido hoje pela Lusa o coordenador nacional de emergência médica da CVP Gonçalo Órfão, que esteve três semanas na Beira, disse que o surto de cólera que deflagrou depois do ciclone está estabilizado na cidade da Beira e adiantou que os médicos do hospital de campanha têm ainda muito trabalho, até porque o centro de saúde foi destruído pelo ciclone e há médicos moçambicanos deslocados para os centros de acolhimento.

Até agora a CVP, que está em Moçambique com a organização não-governamental Médicos do Mundo, já angariou mais de dois milhões de euros, que serão usados na atual missão, em Macurungo, mas também para apoiar a reconstrução total de estruturas médicas.

Francisco George afirmou que a operação de apoio a Moçambique, chamada “operação embondeiro”, só vai terminar quando todas as obras de reconstrução estiverem prontas.

O responsável da CVP considerou que o ideal seria que o Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, participasse nas inaugurações, quando visitar o país.

Segundo informação disponibilizada na conferência de imprensa, a reabilitação do centro de saúde e da maternidade de Macurungo tem o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e o hospital de campanha será no final da missão doado à Cruz Vermelha de Moçambique.

Na conferência de imprensa, os músicos João Gil e Rui Veloso explicaram a iniciativa “Músicos por Moçambique” e desafiaram outros artistas a juntarem-se ao projeto, gravando um vídeo e colocando-o no “palco virtual” da CVP através da plataforma SAPO Vídeos.

Associada ao “espetáculo” estará uma linha de telefone de valor acrescentado disponibilizada pela Altice (7612022229), no valor de um euro por chamada, a nova forma de ajudar a CVP no apoio às vítimas do ciclone Idai. Músicos como João Pedro Pais ou Sérgio Godinho já aderiram.

“Aguardamos que outros músicos se juntem”, disse o músico João Gil, explicando que o trabalho dos dois (com Rui Veloso) termina agora e que espera que a ideia ajude as populações moçambicanas afetadas.

Rui Veloso acrescentou que além de músicos são bem-vindos na iniciativa (online desde a tarde de hoje na página da CVP) outros artistas, como poetas ou atores ou bailarinos.

Francisco George adiantou que os vídeos podem ser usados em qualquer plataforma ou órgão de comunicação social, sem pedido de autorização, bastando fazer referência ao número telefónico de apoio.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.