Ao receber um prémio pela carreira nos Globos de Ouro no domingo à noite, Meryl Streep arrasou a reputação de Donald Trump sem nunca o mencionar pelo nome e, para surpresa de absolutamente ninguém, o presidente eleito dos EUA não demorou a responder no Twitter, chamando-lhe uma das "atrizes mais sobrevalorizadas de Hollywood" e uma "grande fã de Hillary", acrescentando que não estava surpreendido com as declarações vindas de "pessoas liberais do cinema".

Algumas estrelas também usaram a mesma rede social para defender a vencedora de três Óscares.

O ator Alec Baldwin disse que "se Trump pensa que a reprovação, por oposição à aversão, pela sua eleição irá eventualmente diminuir, está enganado".

Já Denis Leary admitiu que "muitas coisas em Hollywood são 'sobrevalorizadas'" mas que "a representação de Meryl Streep não é uma delas".

"Na verdade são boas notícias para a Meryl. A atriz mais sobrevalorizada em Hollywood é literalmente o único prémio que ainda não ganhou", disse James Corden em tom de paródia.

Também a atriz Emmy Rossum reagiu ao que disse o presidente eleito. "Ele está a twittar sobre estrelas de reality shows e atores. Não tens um trabalho para fazer?", partilhou.

O produtor e realizador Judd Apatow comparou Streep aos melhores de outras áreas. "Ela é sobrevalorizada como atriz tanto como Michael Jordan é sobrevalorizado como jogador de basquetebol ou Sully como piloto ou Ted Williams no basebol", disse no Twitter.

O realizador Ron Howard, por sua vez, disse que a atitude de Trump não tinha sido "presidencial". "Trump morde o isco e chama a sobrevalorizada a Meryl Streep?! Por favor, presidente eleito. Não faça disto o WWF [World Wrestling Federation], que é engraçado mas não é presidencial", criticou.

O britânico Ricky Gervais, que já apresentou por várias vezes a cerimónia dos Globos de Ouro, disse que "os fascistas costumavam ter um sentido de humor muito melhor quando eram gozados por atores de Hollywood [foto de Charlie Chaplin em "O Grande Ditador"]."

No seu "The Late Show" e depois no Twitter, o apresentador Stephen Colbert saiu em defesa de Streep. "Mr. Trump, pode recusar revelar os seus impostos, pode pedir para que uma religião inteira seja banida, pode dar-se bem com um ditador, mas chamar sobrevalorizada a Meryl Streep? Não. Demasiado longe!", afirmou.

Em resposta a um utilizador que lhe disse que ela seria a próxima a ser considerada sobrevalorizada, a escritora J.K. Rowling disse "nunca se esqueça que a boa opinião de alguém será mais insultuosa do que o seu abuso!".

A cantora Lily Allen criticou a perda de tempo de Trump com o tema: "Em alguma altura (dentro de uma semana), vais começar a parar de te pesquisar no Google e liderar o mundo livre. Triste."

O ator George Takei, da saga "Star Trek" referiu-se apenas às "qualidades" de Trump: "Que homem tão, tão pequeno. Triste", partilhou na sua conta de Twitter.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.