Dr. John, que fez vibrar os palcos americanos e os festivais de jazz internacionais com o ritmo vodu de Nova Orleães, morreu aos 77 anos, informou a sua família esta quinta-feira.

O lendário pianista de blues sofreu um ataque cardíaco, segundo uma publicação na sua conta no Twitter.

Malcolm John McRebennack revelou o seu talento em muitos géneros musicais, do blues ao pop, do jazz ao "boogie woogie" e o "rock and roll".

O pianista de voz rouca abriu a música da cidade mais emblemática da Louisiana ao rock psicodélica nos anos 60 e ao funk, nos anos 70.

Com o seu "funk-rock vodu", Dr. John colocou-se entre os músicos mais importantes de Nova Orleães, seguindo os passos de outros mestres do piano, como Fats Domino.

Vencedor de seis prémios Grammy, o músico que misturou o inglês com o patoá, cativou o público nos maiores festivais internacionais de jazz.

"O seu modo 'funky' de combinar estilos musicais e a sua personalidade imaginativa ajudou a diversificar o som de Nova Orleães", disse Neil Portnow, presidente da Academia dos Grammy.

"Malcolm John Rebennack Jr., conhecido como Dr. John, era cantor, compositor e pianista radiante cuja carreira o tornou um ícone de  Nova Orleães e um membro do 'Rock and Roll Hall of Fame'".

A sua vida também foi marcada pela dependência da heroína, passando dois anos na prisão por posse de drogas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.