A iniciativa visa “criar mais um instrumento para consulta, estudo e difusão pública da obra de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905)”, artista plástico que popularizou figuras como o Zé Povinho, e foi o criador das Loiças das Caldas da Rainha, onde estabeleceu a sua fábrica de cerâmica.

Bordalo Pinheiro foi também um caricaturista de figuras do seu tempo como os atores Taborda e João Anastácio Rosa, o imperador do Brasil, Pedro II, ou históricas como Luís de Camões a quem apelidou de “o Trinca-Fortes”, entre outros.

Entre os 4.000 registos bibliográficos, contam-se monografias e periódicos, alguns deles com a cópia digital integral da obra.

“A Biblioteca do Museu Bordalo Pinheiro existe desde a sua fundação, em 1916, e é especializada na obra de Rafael Bordalo Pinheiro, integrando publicações periódicas de época e obras de referência para o estudo do contexto histórico e artístico do artista, onde sobressaem temas bordalianos, o desenho humorístico, a caricatura e a cerâmica”, explica o Museu.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.