Na música "Darkness", o artista de 47 anos,  que deixou para trás uma parte da sua vida de agressividade nos últimos anos, conta a história de um homem prestes a levar a cabo um massacre.

O videoclip termina com uma mensagem na qual os fãs são convidados a votar para reforçar as leis sobre a posse de armas de fogo.

Este é o décimo primeiro álbum a solo do rapper que, durante a primeira metade da sua carreira, na qual teve mais destaque no cenário musical, se dedicou a provocar os Estados Unidos com seu alter ego violento e sádico, Slim Shady.

Outra canção do álbum, "Unaccommodating", gerou críticas pelas suas referências ao atentado que ocorreu durante um concerto da cantora Ariana Grande em Manchester em 2017, no qual 22 pessoas morreram.

Em 2018, Eminem já tinha lançado um álbum inesperado, "Kamikaze", no qual também criticou a National Rifle Association (NRA), poderosa entidade que defende o porte de armas de fogo nos Estados Unidos.

O último álbum do cantor de Detroit, que chegou a ser considerado o melhor rapper do país, conta com participações de Ed Sheeran, Skylar Gray e Q-Tip, dos A Tribe Called Quest.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.