Tal como manda a tradição, o segundo fim de semana de julho é fim de semana de NOS Alive. O festival regressou esta quinta-feira, dia 12 de julho, ao Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras, com Arctic Monkeys, Snow Patrol e Nine Inch Nails como protagonistas.

Do Palco NOS ao Coreto, passando pelo Palco Comédia, Palco Sagres e NOS Clubbing, a animação foi constante ao longo de todo o dia - como é habitual, a organização distribuiu horários dos concertos para que nenhum festivaleiro se perca entre as dezenas de espetáculos agendados (no total, são 123 durante os três dias do NOS Alive).

VEJA NA GALERIA AS FOTOS DOS CONCERTOS:

Os concertos no Palco NOS, o palco principal, arrancaram às 18h00, com o português Miguel Araújo a fazer as honras da casa. Ainda com os espectadores a chegarem a conta gotas ao recinto, o músico embalou o final de tarde com os temas mais populares da sua carreira.

Arctic Monkeys, as estrelas maiores

Mas o momento alto, marcado e sublinhado nos horários de muitos, chegou cinco minutos depois da meia-noite. Os Arctic Monkeys, as estrelas do primeiro dia do NOS Alive, subiram a palco à hora marcada para apresentarem os temas de "Tranquility Base Hotel & Casino", o seu novo álbum.

Com um recinto bem composto, e como seria de esperar, a banda britânica foi recebida com euforia, que foi crescendo e crescendo ao longo do concerto. "Four Out of Five", "Brianstorm", "Don't Sit Down 'Cause I've", "Moved Your Chair", "Crying Lightning" e "The View From the Afternoon" foram os temas de arranque.

Com as novas canções, Alex Turner, vestido com um fato à anos 1970 e sempre com o cabelo penteado para trás, levou o público numa viagem até à lua, até à Tranquility Base (lugar onde, em 1969, aterrou a Apolo 11) - as faixas do novo registo da banda são mais lentas, com letras enigmáticas, sempre com piano e criam uma ambiente quase cinematográfico.

Os temas dos discos anteriores também não ficaram de fora do alinhamento - "Do I Wanna Know?", "R U Mine?", "Arabella" e "505" carimbaram alguns dos pontos altos do concerto.

No NOS Alive, o grupo mostrou mais uma vez porque é que é uma das bandas mais bem oleadas da atualidade. Alex Turner e companhia são sempre uma aposta certeira: rock 'n' roll com força, uma máquina que bate ao ritmo do coração e que conquista todos. A banda britânica continua a realizar o seu próprio filme, não apenas a fazer remakes do passado, sempre com rock'n'roll magistral.

O abraço dos Snow Patrol

Antes dos Arctic Monkeys, os Snow Patrol tiveram a missão de aquecer o público. A banda britânica apresentou "Wilderness", lançado em maio, mas não esqueceu aquelas canções que todos queriam ouvir.

Com um astronauta no pano de fundo, o prato principal do concerto foi o novo disco, o primeiro álbum do grupo em sete anos. Na novas canções, Gary Lightbody não precisa de "Anatomia de Grey", de Shonda Rhimes, para criar drama - as letras dos temas foram inspiradas no seu drama pessoal.

Snow Patrol
créditos: Stefani Costa

O concerto começou uns minutos mais tarde do que o previsto, devido a problemas técnicos. Depois de estar tudo resolvido, a banda entrou com toda a força com "Chocolate" - apesar de terem passado sete anos, os Snow Patrol sabem o que funciona e não se focaram apenas em mostrar material novo.

A meio do alinhamento, houve "Open Your Eyes" e "Run", dois dos maiores sucessos da carreira do grupo. A uma só voz, a multidão cantou com Gary Lightbody e os temas serviram de banda sonora para muitos abraços e beijos mais apaixonados.

"Chasing Cars" e "Just Say Yes" fecharam o concerto e foram as canções mais abraçadas pelo público. Foi um final bonito e que serviu de aperitivo para o concerto marcado para fevereiro de 2019, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Senhoras e senhores, Nine Inch Nails

Os Nine Inch Nails trouxeram ao NOS Alive as novas canções, fruto dos novos trabalhos editados, numa série de três lançamentos - “Not The Actual Events”, “Add Violence” e "Bad Witch” - e canções que fizeram os fãs viajar ao passado.

Durante uma hora, a banda de Trent Reznor mexeu com os festivaleiros com o seu rock industrial. Houve momentos de expulsão de raiva, que se misturaram com a iluminação monocromática e o fumo constante.

Nine Inch Nails
créditos: Rita Sousa Vieira/ MadreMedia

Tal como é habitual, a banda norte-americana fechou o concerto com "Hurt", tema que já foi gravado por Johnny Cash.

Os Nine Inch Nails carimbaram um dos concertos da primeira noite do NOS Alive e os fãs não pouparam as gargantas.

Antes, Bryan Ferry, cantor britânico que ficou conhecido como vocalista dos Roxy Music, subiu ao Palco NOS.

Bryan Ferry no Palco NOS
créditos: Foto: Organização NOS Alive

O músico iniciou a sua carreira a solo em 1973, com o álbum "These Foolish Things", em que interpretava canções de Bob Dylan, The Beatles e Rolling Stones. Do seu percurso a solo saíram mais clássicos. "Slave to Love", "Don’t Stop The Dance" e "Let’s Stick Together" são algumas das que compõem as memórias de milhares fãs e não ficaram de fora do alinhamento.

Foi um regresso ao passado com o crooner britânico e com temas que influenciaram gerações, tanto da sua carreira a solo, mas também do seu percurso com os Roxy Music.

O NOS Alive regressa esta sexta-feira, dia 13 de julho, ao Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras.  No segundo dia do NOS Alive (13 de julho), os Kaleo trazem ao festival o seu álbum de estreia ("A/B"), às 17h00. Os Black Rebel Motorcycle Club atuam às 18h25.  The National (21h20), Queens of The Stone Age (23h05) e Two Door Cinema Club (1h30) fecham o palco.

Newsletter

Os melhores filmes, as séries mais populares e a música que tem mesmo de ouvir. Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.