As doações dos artistas e colecionadores particulares "vêm dar um importante contributo para a coleção do museu, abrindo o leque dos artistas contemporâneos representados, já que nenhum deles estava ainda representado na coleção" do MNAC, revelou a diretora da instituição, Emília Ferreira, contactada pela agência Lusa.

No conjunto, contam-se duas obras de desenho do artista Luís Silveirinha e, vindas de coleções particulares, uma pintura de Gabriel Abrantes, da coleção de Manuel Brito, que já estava em depósito no MNAC, além de peças de desenho, gravura, fotografia e pintura, das coleções de Alexandre Pomar e de Teresa Marta.

Nas doações destes dois colecionadores, que incluem também autores de gerações mais velhas, a diretora salientou a entrada no MNAC de obras de mais cinco mulheres artistas: Alice Jorge, Manuela Jorge, Maria Beatriz, Luísa Correia Pereira e, de uma geração mais jovem, Fátima Mendonça.

Da coleção de Alexandre Pomar foi também doada uma obra de pintura do artista Pedro Zamith.

"Em termos plásticos, a diversidade dos suportes das obras doadas apresenta também grande relevância para a coleção" do MNAC, sublinhou Emília Ferreira, sobre a importância destas entradas no acervo.

No ano passado, o MNAC apresentou "Dissonâncias", uma exposição com 85 obras de 45 artistas, para dar a conhecer ao público uma seleção das aquisições e doações de artistas e mecenas para o museu na última década.

Em setembro, numa visita guiada à Lusa, a diretora salientou que as obras que ali entraram naquele período mostram que "a generosidade de artistas e colecionadores nunca parou, mesmo nas alturas de crise económica mais profunda" no país.

"Num panorama pouco próspero como é o dos museus em Portugal, existir este nível de envolvimento na sociedade civil para com o museu é algo muito importante de destacar", afirmou, agradecendo a artistas, seus herdeiros, colecionadores e mecenas que, desde o nascimento do museu situado no centro histórico de Lisboa, fundado em 1911, têm vindo a entregar várias obras.

O acervo do MNAC integra mais de 5.000 peças de arte, num percurso cronológico desde 1850 até à atualidade, incluindo pintura, escultura, desenho, fotografia e vídeo.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.