Ao pôr-do-sol, pelas 20:00, a banda lisboeta Capitão Fausto subiu ao palco EDP, na Herdade do Cabeço da Flauta, no Meco, em Sesimbra (Setúbal).

“É um prazer regressar. Há sete anos estava aqui com os meus amigos e fiquei no acampamento gazela, o que deu origem ao primeiro álbum, ao primeiro grande concerto das nossas vidas e estava muito nervoso”, contou ao público o vocalista, Tomás Wallenstein.

Também fazem parte deste grupo Salvador Seabra, Francisco Ferreira, Manuel Palha e Domingos Coimbra, que mostraram hoje a influência brasileira do seu último disco, “Invenção Sai Caro”, editado em 2017.

Nesse ano, a banda foi até ao outro lado do Atlântico para se reinventar e, hoje, encantou o público do SBSR com “Amor, a nossa vida”, “Boa Memória” e “Lentamente”.

Houve tempo para uma viagem a outros temas dos álbuns lançados entre 2011 e 2016, mas “Amanhã Tou Melhor”, do álbum “Capitão Fausto têm os dias contados”, revelou-se uma das mais esperadas dos festivaleiros, que mostraram saber toda a letra.

Neste segundo dia, os músicos franceses estão em destaque e a primeira a atuar foi Christine and the Queens, “um dos nomes mais fortes do ‘novo pop francês’”, que subiu ao palco principal, pelas 21:00, dizendo ao público que lhe podia chamar “Chris”, o nome do último álbum que lançou, em 2018.

“Esqueci-me de dizer algo muito importante. O espaço que estamos a partilhar é um espaço seguro, onde podem fazer o que quiserem”, referiu a cantora, que junta a música, teatro e dança num só espetáculo, sempre com uma energia contagiante.

Mais tarde, Christine, que canta maioritariamente em inglês, afirmou mesmo que se quiser “pode dizer que é um homem”.

De volta ao palco EDP, pelas 22:00, surgiu a franco-britânica Charlotte Gainsbourg que deu a conhecer o seu último álbum, lançado em 2017, “Rest”, onde mistura o inglês e francês.

Acompanhada por várias luzes LED em forma de quadrado, Charlotte manteve poucos diálogos com os festivaleiros, mas disse várias vezes “obrigada” em português, quando era aplaudida no final de uma canção, como aconteceu com “Sylvia Says”.

Perto das 23:00, as pessoas deslocaram-se em peso para ouvir a principal atração de sexta-feira, a banda francesa Phoenix, que está a dar a conhecer o seu mais recente álbum, “Ti amo”, lançado em 2017.

Nesta madrugada, a festa continua com Kaytranada, considerado “um dos principais talentos do hip hop mundial”, nascido no Haiti e criado no Canadá.

Migos, Janelle Monáe, Profjam e Disclosure são os artistas que encerram hoje a 25.ª edição do SBSR, que regressou ao Meco, em Sesimbra, depois de seis edições em Lisboa, no Parque das Nações.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.