Depois de ter chamado "esganiçadas" às deputadas do Bloco de Esquerda, o comentador e economista Pedro Arroja fez diversos comentários considerados "ignorantes, homofóbicos e machistas" pelos queixosos.

Em comunicado, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) explica que considera que as declarações sobre a adopção de crianças por casais do mesmo sexo, no Porto Canal, devem ter em consideração a liberdade de expressão e opinião, ilibando assim o canal de possíveis sanções.

As queixas chegaram à ERC depois do "Jornal Diário" de 24 de novembro de 2015 ir para o ar. No noticiário do Porto Canal, o comentador criticou o projeto de lei favorável à adopção por casais homossexuais.

"Se eu pudesse voltar a ser criança e me perguntassem: ‘você tem três hipóteses: ou ser adotado por um casal heterossexual, ou ser adotado por um casal de dois homens, ou ser adotado por um casal de duas mulheres’. Eu, sabendo o que sei hoje, só poderia dar uma resposta – ser adotado por um casal heterossexual", disse num dos comentários que motivaram as queixas à ERC.

O comentador defendeu ainda que se "o homem dá à mulher direcção, indica-lhe um caminho. Uma mulher não é capaz de definir um caminho. Sem um homem, fica sem saber o que fazer. A mulher dá ao homem equilíbrio, moderação, porque um homem sozinho só faz asneiras, como beber em excesso e conduzir o carro a 200 à hora".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.