Em 1972, Tom Wolfe, enquanto jornalista da revista Rolling Stone, teve a missão de acompanhar a última missão da NASA à Lua a bordo da Apollo 17. Mas não se ficou por ali e deu início a uma pesquisa sobre o primeiro programa de exploração espacial dos Estados Unidos, o Mercury Project. Da investigação nasceu um livro, "The Right Stuff" (1979), que se tornou best-seller e que inspirou o filme "Os Eleitos" (1983), realizado por Phillip Kaufman com Sam Shepard e Dennis Quaid nos papéis principais.

Agora, mais de quatro décadas depois da edição do livro e 37 anos depois da estreia do filme, a história dos sete protagonistas envolvidos nas várias fases do primeiro programa espacial norte-americano chega ao pequeno ecrã pelas mãos de Mark Lafferty, que contou com Leonardo DiCaprio e Jenniffer Davidson como produtores executivos.

"Os Eleitos",  série original de ficção da National Geographic, estreia esta sexta-feira, dia 9 de novembro, no Disney+ e promete revelar aos espectadores "um olhar inspirador sobre os primeiros dias do programa espacial dos Estados Unidos, e sobre a constituição da equipa de astronautas americanos, 'Mercury 7'".

Antes da estreia da primeira temporada da série, que ao longo de oito episódios narra a história do primeiro reality show da América, o SAPO Mag participou numa conferência virtual com a equipa que criou e produziu a série e conversou com os atores que protagonizam "Os Eleitos".

A ideia para a série

A par de Leonardo DiCaprio, Jenniffer Davidson foi uma das produtores executivas de "Os Eleitos", que ao longo dos episódios acompanha um grupo de astronautas ambiciosos e as suas famílias, enquanto se tornam celebridades instantâneas numa competição que pode matá-los ou torná-los imortais. Em conversa com vários jornalistas de todo o mundo, a produtora revelou que a ideia inicial era avançar com um filme centrado na história de Chuck Yeager, um ás da aviação norte-americana e conhecido por ser a primeira pessoa a "quebrar" a barreira do som.

Veja o trailer da série:

"Estávamos a planear desenvolver a história de Chuck Yeager como um filme. Mas isso não funcionou", recorda, contando que a ideia de avançar com uma série inspirada no best-seller de Tom Wolfe partiu de Michael Hampton: "O Michael Hampton disse: 'porque é que não fazemos sobre 'The Right Stuff''?' Tens sete protagonistas e não só um'". A sugestão soou bem e o projeto começou a ganhar forma.

"Por mais respeito que tenhamos pelo filme, há muito mais histórias no livro", frisa Jenniffer Davidson, adiantando que foi depois de conhecerem ao pormenor o livro "The Right Stuff" que decidiram avançar com a série. "Acho que em 1983 não poderia ser feita uma série de televisão da mesma forma que é feita em 2020. Então, temos este momento incrível e esta oportunidade inacreditável de contar a história real destes sete homens. Não se trata apenas de chegar ao espaço, mas dos homens que lá iam chegar", sublinha Jennifer Davisson, contando ainda que a equipa conversou com Tom Wolfe, que aprovou a ideia.

OS ELEITOS

Tom Wolfe morreu em maio de 2018, mas ainda acompanhou o início do projeto. "Acho que ele iria adorar a série, iria adorar os sete protagonistas. Temos estado em contacto próximo com a sua filha, que já viu a série, e está fascinada e acredita no mesmo. Ela acredita que o pai estaria satisfeito", conta a produtora executiva em conversa com o SAPO Mag.

Mark Lafferty também fez parte da equipa de produtores de "Os Eleitos" e adianta que a série vai explorar alguns pontos deixados de lado no filme de 1983, de Phil Kaufman. "É um filme de quase três horas, mas ele não podia ir tão a fundo e tão longe quanto nós fomos com as personagens. O que comecei a descobrir e o que todos os guionistas começaram a descobrir, à medida que íamos escavando, é que toda a história tem outras histórias a explodir nas margens", frisa, explicando que, apesar de terem mais tempo para desenvolver a narrativa, tiveram "de deixar de lado algumas histórias".

"Entrámos na vida, na vida familiar de muitos desses homens e mulheres, e descobrimos o que os move (...) O nosso objetivo era universalizar estas personagens e fazê-las parecer muito mais reais", acrescenta o produtor.

Os sete protagonistas

"No auge da Guerra Fria em 1959, a União Soviética domina a corrida espacial. Para combater um sentimento nacional de medo e declínio, o governo dos EUA desenvolve o Projeto Mercury da NASA, iniciando uma corrida espacial com os soviéticos, e tornando um grupo de talentosos pilotos de teste militares em celebridades instantâneas", lembra o National Geographic.

Este grupo, que ficou conhecido como os "Mercury 7" são transformados em heróis muito antes de realizarem um único ato heroico. "Os melhores engenheiros do país estimam que precisam de várias décadas para chegar ao espaço sideral, mas eles vão ter apenas dois anos", resume a produção da série.

Os dois homens no centro da história são o Major John Glenn, um respeitado piloto de testes e homem de família, interpretado por Patrick J. Adams ("Suits"), e o Tenente Alan Shepard, um dos melhores pilotos de teste na história da Marinha, interpretado por Jake McDorman ("Lady Bird").

"Foi uma história incrível e aconteceu muito, muito rápido. Mas o que se perdeu, acho eu, é a história que estamos a contar aqui, que é sobre esses sete homens, as suas famílias e as pessoas que foram responsáveis pela criação do projeto", explica Patrick J. Adams, o Major John Glenn em "Os Eleitos".

"Há imenso material e a história não foi contada durante tanto tempo. É como se fosse um tesouro cheio de história, de personagens, de conflito, de intriga e de manobras políticas. Sinto-me um sortudo por fazer parte disto e de contar esta história a uma geração de pessoas que provavelmente se distraiu com a chegada à lua e com outros avanços que fizemos desde então", acrescenta o ator, que ficou conhecido ao vestir a pele de Mike Ross na série "Suits".

Em entrevistas a vários meios de todo o mundo, Jake Mcdorman, que veste a pele de Alan Shepard,um dos melhores pilotos de teste na história da Marinha, confessa que, ao conhecer a história em detalhe, ficou surpreendido com a popularidade da equipa de astronautas americanos, "Mercury 7". "Sempre conheci astronautas como eles, ícones incríveis (...) Mas acho que me esquecia que são pessoas normais, que foram colocados num pedestal por causa da corrida espacial com a Rússia. E tiveram de ser retratados como uma espécie de heróis norte-americanos infalíveis, e não era o estilo de vida a que estavam habituados", recorda.

OS ELEITOS

Além do Major John Glenn e do Tenente Alan Shepard, a equipa contava com o Capitão Cooper (Colin O'Donoghue), o mais novo dos sete selecionados para surpresa de todos; Wally Schirra (Aaron Staton), um piloto competitivo com um dom para pregar partidas; Scott Carpenter (James Lafferty), apelidado "O Poeta" pelos outros astronautas; Deke Slayton, (Micah Stock), um piloto e engenheiro silencioso mas incrivelmente inteligente; e Gus Grissom, (Michael Trotter), um veterano militar condecorado que acaba por se tornar o segundo homem no espaço.

Para Colin O’Donoghue (Gordon Cooper) foi um privilégio fazer parte do elenco da série. "Não sei como acabei a interpretar um herói norte-americano, foi um acaso e sorte. Foi uma experiência incrível", confessa, acrescentando que os produtores lhe ofereceram o livro antes do início da produção da série. "Cheguei tarde e, então, não tive muito tempo para me preparar. Na verdade, acho que isso me beneficiou porque não tive tempo para pensar que estava a interpretar um herói norte-americano", conta.

"É uma grande diferença estar no teatro local aqui em Drogheda e, de repente, dar entrevistas por Zoom sobre uma série que vai ser lançada no Disney+. Então, sinto-me muito, muito sortudo, muito agradecido", confessa o ator em conversa com os jornalistas.

Para Aaron Staton, que veste a pele de Wally Schirra, um piloto competitivo com um dom para pregar partidas, participar em "Os Eleitos" também foi um grande desafio. "Foi a primeira vez que interpretei alguém que existiu mesmo (...) Acho que o nosso trabalho como atores da série não foi pensar nestes homens e personagens como heróis porque a série é sobre pessoas. Quando a câmara começa a filmar, somos pessoas a conversar numa sala sobre trabalho ou sobre o quer que seja", frisa.

"Um ator, quer a personagem seja real ou fictícia, tem como responsabilidade tentar chegar o mais perto da verdade dessa vida", acrescenta Michael Trotter, que dá vida ao veterano militar Gus Grissom, contando que leu o livro quando era jovem.

"O lado bom da serie é que é uma expansão do livro e do filme. Devido à natureza da televisão, há mais tempo, dá para 'espreitar por trás da cortina' e ver outras histórias que existem além da história principal", acrescenta o ator.

James Lafferty (Scott Carpenter) acrescenta que a série dá foco à forma como os sete sete protagonistas se tornaram celebridades: "Uma coisa interessante sobre a série é que explora também como é que se chegou ao ponto em que parecia que não poderia existir um programa especial se não houvesse um apoio massivo do público. Foi quase por necessidade, foi quase fabricado".

Já Patrick Fischler, que dá vida a Bob Gilruth, defende que o trabalho da equipa de astronautas norte-americanos foi "mágico". "E é isso que precisámos atualmente, precisamos de acreditar, de ter esperança. Foi essa a lição que tirei da série", acrescenta o ator.

"Esta história é inspiradora e com esperança (...) Podemos usar esta história para nos lembrarmos que, se trabalharmos juntos, podemos conquistar muito mais do que se trabalharmos separados e uns contra os outros", acrescenta Eric Ladin, ator que veste a pele de Chris Kraft em "Os Eleitos".

Josh Cooke, que interpreta Loudon Wainwright em sete episódios da série, defende a mesma mensagem do colega, sublinhando que é "importante aprender lições com a história, mas seguir em frente com firmeza". "Aho que as pessoas podem olhar para o 'Mercury 7' e pensar como melhorar, o que podem melhor, o que podem fazer. Acho que é essa a lição, de nos unirmos para avançar para futuro e progredir ainda mais", remata.

Em terra, as mulheres dos sete protagonistas

Para Eloise Mumford, que dá vida a Trudy Cooper, a esposa de Gordon Cooper, a série "Os Eleitos" destaca mais a história das mulheres. "É uma visão mais clara, mais corajosa e muito mais honesta sobre o que moveu todas estas pessoas, incluindo as mulheres", defende a atriz.

Shannon Lucio, que veste a pele de Louise Shepard, esposa de Alan Shepard, lembra que as mulheres dos protagonistas "viviam com um nó no estômago, com medo que os seus maridos pudessem morrer a qualquer momento". "Acho que isso foi algo que elas se habituaram ou simplesmente aceitaram e que já fazia parte das suas vidas. Se isso acontecesse, o mundo interio e os seus filhos iam ver na televisão", recorda.

Os casos extraconjugais dos astronautas deram que falar, mas John Glenn foi sempre fiel à esposa Annie, tal como recorda a atriz Nora Zehetner. "Eles tiveram a história de amor mais bonita que podemos imaginar (...) Eles conheceram-se quando tinham dois e três anos e começaram a namorar no oitavo ano. Ele nunca a traiu e eles ficaram juntos para sempre. Sempre que ele ia para o espaço, dizia: 'vou virar a esquina e comprar um pacote de pastilhas elásticas'. Ele andava sempre com as pastilhas elásticas", conta a atriz.

Ao longo dos episódios,  os pontos fortes destes astronautas são igualados apenas pelas suas falhas, e o projeto fica ameaçado quando o grupo começa a ceder às tentações. No centro deste drama histórico, povoado por personagens profundamente humanas, estão dois homens que se tornaram ícones - Glenn e Shepard – que lutam entre si para ser o primeiro homem no espaço. "Todo o programa é quase derrubado por esta rivalidade sem limites", lembra a National Geographic.

A série segue também os engenheiros da NASA, que trabalham contrarrelógio enquanto as pressões de Washington e do público aumentam, e acompanha o funcionamento da máquina de propaganda dirigida pelo departamento de relações públicas da NASA, auxiliada pelos editores da revista LIFE.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.