"Isto É Gozar Com Quem Trabalha", programa de Ricardo Araújo Pereira, estreia este domingo, dia 1 de março, na SIC. Marcelo Rebelo de Sousa é o primeiro convidado da nova aposta do canal.

Tal como no canal "vizinho", o humorista vai estar acompanhado por Joana Marques, Manuel Cardoso, Guilherme Fonseca, Miguel Góis, José Diogo Quintela, Cláudio Almeida, Cátia Domingues e Insónias. A equipa do programa (menos Miguel Góis, que apenas apareceu em cartão) e Daniel Oliveira apresentaram o formato na quarta-feira, dia 26 de fevereiro.

Veja no vídeo a apresentação do programa:

"Acho que já disse isto: quando viemos para cá, para nós era um gosto vir. Ficámos a conhecer as Laveiras... é as Laveiras ou só Laveiras. Não sei bem, mas é uma terra magnifica", começou por sublinhar Ricardo Araújo Pereira na apresentação à imprensa. "Fomos muito bem recebidos, temos o respaldo do Daniel [Oliveira] em relação a toda a espécie de coisas meio piratas que a gente queira fazer... no sentido em que não há assim tantos programas de televisão que se refiram aos protagonistas políticos e outros da maneira como a gente de refere e que usem imagens de várias outras proveniências. Isso é importante", acrescentou.

VEJA NA GALERIA AS FOTOS DA APRESENTAÇÃO:

Depois de "Gente Quem Não Sabe Estar", na TVI, Ricardo Araújo Pereira e a sua equipa decidiram baptiza o programa com o nome "Isto É Gozar Com Quem Trabalha". "Na TVI, o nome era 'Gente Que Não Sabe Estar' e referia-se a nós. Há um determinado ambiente cultural que faz com que algumas das coisas que a gente diz no programa sejam inadmissíveis", frisou, lembrando que a equipa ainda não foi processada judicialmente. "Por acaso não tivemos processos, só uma ameaça de processo... continuamos à espera", brincou.

ISTO É GOZAR COM QUEM TRABALHA
créditos: DIOGO ALMEIDA

"Aqui volta a ser um título bastante denotativo, porque basicamente as pessoas de quem a gente fala tem empregos a sério: são banqueiros, são empresários, ministros, deputados, são juízes... Isto é literalmente gozar com quem trabalha. É um bom resumo do que o programa vai ser", explicou.

José Diogo Quintela revelou ainda que estiveram "vários nomes em cima da mesa, aliás, em cima do ‘Slack’, uma aplicação... Isto não é muito interessante...". "Lá está, não vai dizer nada sobre esse assunto", interrompeu Ricardo Araújo Pereira.

Na apresentação, a equipa explicou que cada episódio do programa irá durar cerca de 35 minutos. "A estrutura do programa é flexível a ponto de se adaptar ao que vai acontecendo -umas vezes podemos fazê-lo de uma maneira, outras vezes de outra. É capaz de ter um convidado e isso é uma diferença em relação ao programa semanal que a gente fazia. Há possibilidade, sim, de haver qualquer coisa para a internet", contou o humorista, explicando que "pode haver algumas coisas que não aparecem na televisão" que vão ser disponibilizadas online.

ISTO É GOZAR COM QUEM TRABALHA
créditos: DIOGO ALMEIDA

Para Daniel Oliveira, "este programa vem um pouco em linha com o que o Ricardo tem feito nos últimos anos e que começou por fazer aqui na SIC com o 'Gato Fedorento Esmiúça os Sufrágios'". "Uma das grandes novidades é que o leque de análise que o programa vai ter se abre um pouco mais para além do espectro político. Vamos estar abertos e atentos ao que se passa na sociedade. E regularmente, o programa terá convidados, não só do espectro político, mas  qualquer pessoa que o Ricardo e a equipa dele entendam ser relevante de ter no programa", contou o diretor de programas da SIC.

"O programa consiste numa pessoa a resmungar numa mesa"

Sobre a estreia do programa, a equipa prefere guardar segredo. "A verdade é que nós não queremos estragar a surpresa - não é que não saibamos já tudo, está tudo já escrito e só faltam duas ou três linhas por acabar.. mas vai ser espetacular, é o que eu posso garantir", frisou ainda Joana Marques. "Mas não eleves muito as expectativas", alertou Ricardo Araújo Pereira.

"A gente começou esta semana porque as férias do Carnaval proporcionaram imensos temas... não há nada. Basicamente é o coronavírus e acabou. Não há grande coisa. Portanto, vamos fazer das tripas coração para encher os minutos que são necessários. O programa consiste numa pessoa a resmungar numa mesa. Preparem-se para 35 minutos muito, muito giros", disse Ricardo Araújo Pereira.

"Vai ser bom sobretudo pelo Ricardo. Era o nosso método no outro canal: escrevíamos umas coisas sem grande graça e depois o Ricardo chegava lá e parecia espetacular. Vamos apostar nesta táctica outra vez", brincou a humorista que assina também a rubrica "Extremamente Desagradável", da Rádio Renascença.

Tal como acontecia em "Gente Que Não Sabe Estar", o novo programa será gravado no Teatro Villaret, em Lisboa - para assistir ao vivo (domingos, às 11h30), terá apenas de se inscrever através do e-mail istoegozarcomquemtrabalha@sic.pt.

"Porque é que a gente faz aquilo em frente a uma plateia? É porque o trabalho é esse. O trabalho é durante a semana estar a congeminar uma pequena bomba na esperança de que ela estoire no domingo, e o estoiro são gargalhadas. Claro que fazer o programa à frente de uma plateia dá-lhe outra dimensão, é muito diferente do que fazê-lo no estúdio", explicou.

RICARDO ARÁUJO PEREIRA
créditos: SIC

"Antes de o programa começar, conversamos com o público, agradecemos a gentileza de terem ido ver... a gente não paga a ninguém. As pessoas vão e isso é muito gentil - às vezes é tão gentil que até aleija. A sala do Villaret leva 400 ou 500 pessoas e uma vez apareceram 800 para ver o programa. As pessoas fizeram uma fila e nesse dia chegava até ao Fórum Picoas e eu fui pela fila fora dizendo, a umas 50 pessoas de cada vez: 'vamos fazer duas vezes. Entram 400 primeiro, a gente faz uma fornada e depois entram mais 400 e a gente faz uma segunda. Fizemos duas vezes e aproveitámos coisas da segunda e da primeira porque houve coisas que eu disse mal de uma vez e bem da outra - se ponderamos fazer o programa duas vezes todas as semanas, até consigo acertar", relembrou.

Na apresentação de "Isto É Gozar Com Quem Trabalha", Daniel Oliveira frisou ainda que "a presença do Ricardo e de toda a equipa é também relevante para a forma como queremos olhar o futuro, para o desenvolvimento de outros conteúdos, de outras formas de tocar os espectadores". "Acreditamos que o programa de domingo é importante porque toca vários públicos, porque convoca públicos que para nós são muito relevantes e que estão menos vezes nos canais generalistas. Mas queremos mais, queremos mais que este programa de domingo. Queremos desafiar... tendo tanto talento à nossa disposição, queremos desafiá-los a criar novas formas de comunicar com o público", frisou o diretor de programas da SIC.

"Esta aposta que fazemos neste género de humor é muito relevante e muito fundamental para a SIC que queremos construir. Entendemos que o humor tem hoje um papel muito importante na sociedade porque interpela a sociedade e porque nos faz olhar também para determinadas realidades a partir de um ângulo que muitas vezes não é tão óbvio. E é isso que esta equipa vai fazer, de certeza", reforçou Daniel Oliveira.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.