Parte da programação especial do 20.º aniversário do canal História, "Uma História do Futuro" estreia a 11 de dezembro, às 22h15, e analisa quatro áreas-chave: o clima, o trabalho, a democracia e a globalização.

Produzida pela Onza Entertainment, a série documental de quatro episódios conta com a apresentação de Diego Rubio, Professor de História Aplicada na IE University e Diretor-executivo do Center for the Governance of Change, e com a participação de 20 especialistas internacionais - dos EUA, Chile, México e Reino Unido - que examinam acontecimentos passados para esclarecer os fenómenos atuais e antecipar suas possíveis consequências.

Como é que a primeira revolução industrial transformou o emprego e como o fará a atual? Que efeitos tiveram as alterações climática no passado e como é que isso nos afetará? Existirá uma nova guerra fria entre os Estados Unidos e a China? Irá a democracia morrer num futuro próximo? E se sim, que sistemas a substituirão? Estas são algumas das questões a que "Uma História do Futuro" tentará responder, avança o canal, conciliando uma vasta investigação com um cuidado visual assinalável.

Uma História do Futuro

"Uma série como esta oferece a oportunidade de nos dirigirmos a centenas de milhares de pessoas. De as ajudar a entender melhor o mundo em que vivem e antecipar os desafios que enfrentarão nas próximas décadas. Como académico, é um verdadeiro privilégio poder ir além das aulas e partilhar o conhecimento com os cidadãos", explica Diego Rubio em entrevista ao SAPO Mag.

O apresentador destaca ainda três aspetos que distinguem esta aposta de outras do canal e do formato de séries documentais. "Primeiro, o foco. 'Uma História do Futuro' é a primeira série documental que se baseia na História Aplicada, uma corrente metodológica que analisa precedentes históricos e tendências estruturais para iluminar fenómenos atuais e antecipar possíveis cenários futuros. Neste sentido, é um produto pioneiro. Em segundo lugar, o rigor. A série parte de estudos académicos e a sabedoria de 19 especialistas de primeiro nível, autores de livros-chave e investigadores das melhores universidades do mundo. Em terceiro lugar, a sua qualidade fotográfica. A série recorre a 10 mil anos de história dos cinco continentes do globo, através de imagens antigas e modernas captadas pelas últimas tecnologias. É um verdadeiro espetáculo visual", assinala.

O facto de recorrer a tanto material e de abordar questões tão amplas acarretou, no entanto, alguns desafios peculiares. "O mais difícil foi explicar processos históricos complexos em poucos minutos e de uma forma acessível ao grande público. A divulgação exige simplicidade, evitar alguns detalhes e matizes, e isso é difícil para um académico", recorda o apresentador.

Diego Rubio

Esse esforço de investigação e organização de informação resultou numa série que de dedica a todos, "para conhecer melhor o presente e ter uma noção mais rigorosa dos caminhos e oportunidades que o futuro trará", sublinha Diego Rubio. "Não importa quem seja o espectador, a sua idade ou profissão: os fenómenos que analisamos na série transformarão a sua vida na próxima década", avança.

Os dois primeiros episódios da série, "A História do Clima" e "A História do Trabalho", estreiam a 11 de dezembro, às 22h15 e 23h00, respetivamente. Já o terceiro e o quarto, "A História da Globalização" e "A História da Democracia", chegam ao História a 18 de dezembro, nos mesmos horários.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.