“A Herdade” é o filme português candidato aos Óscares do próximo ano, anunciou esta quarta-feira a Academia Portuguesa de Cinema (APC).

Realizado por Tiago Guedes e produzido por Paulo Branco, é a escolha dos membros da APC para representar Portugal na categoria de Melhor Filme Internacional, anteriormente conhecida por Melhor Filme Estrangeiro.

Os outros filmes que podiam ter sido indicados eram "Raiva", de Sérgio Tréfaut, "Parque Mayer", de António-Pedro Vasconcelos, e "Variações" de João Maia.

"A Herdade" irá concorrer com filmes como "Dor e Glória", de Pedro Almodóvar (Espanha), "A Vida Invisível", de Karim Aïnouz (Brasil), o vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes "Parasitas", de Bong Joon-ho (Coreia do Sul) e "It Must Be Heaven", de Elia Suleiman (Palestina).

Os títulos para o Óscar de Melhor Filme Internacional serão visionados por comités especiais de votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e a lista será reduzida a dez pré-nomeados (mais um do que anteriormente), que normalmente é anunciada no início de dezembro. Os cinco finalistas serão conhecidos juntamente com os eleitos nas outras 23 categorias dos Óscares a 13 de janeiro.

Portugal tem o recorde do país que mais vezes submeteu sem sucesso filmes para conseguir a nomeação: 35.

Para o Presidente da APC, Paulo Trancoso, “nos últimos dois anos o cinema português tem vindo a afirmar-se no plano nacional e internacional, não só por manter uma presença constante e destacada em festivais de cinema onde Portugal não participava há vários anos, mas também pelo crescente número de espectadores que acorrem às salas para ver filmes portugueses”.

“Este ano, até agora a produção nacional levou às salas cerca de 490 mil espectadores, um aumento impressionante face aos 145 mil espectadores contabilizados no mesmo período em 2018. Todos os filmes que estavam nomeados à candidatura de Portugal para os Óscares - "Raiva" de Sérgio Tréfaut, "Parque Mayer" de António-Pedro Vasconcelos e "Variações" de João Maia – são filmes que demonstram a vitalidade e diversidade inequívoca do cinema português”, acrescentou.

O filme de Tiago Guedes é também o candidato português escolhido pela APC a uma nomeação para os Goya - os prémios de cinema de Espanha - na categoria de melhor filme ibero-americano, com cerimónia está prevista para 25 de janeiro de 2020, em Málaga.

"A Herdade" entrou na competição oficial do festival de Veneza - o mais antigo da Europa - e embora não tenha sido premiado, foi distinguido com o Bisato d'Oro para Melhor Realização atribuído por um júri da crítica independente presente no evento.

Protagonizado por Albano Jerónimo, Sandra Faleiro, Miguel Borges e Victoria Guerra, conta a história de uma família latifundiária, dona de uma grande propriedade no Alentejo, permitindo traçar "o retrato da vida histórica, política, social e financeira de Portugal, dos anos 40, atravessando a revolução do 25 de Abril e até aos dias de hoje", como indica a sinopse da obra.

O filme foi ainda exibido na terça-feira, no Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF), onde também se encontra em competição.

"A Herdade" estreia-se nos cinemas portugueses no dia 19.

A 92.ª cerimónia dos Óscares decorrerá a 9 de fevereiro de 2020.

VEJA O TRAILER "A HERDADE".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.