Tiana, de "A Princesa e o Sapo" (2009), tem uma pequena participação em "Força Ralph: Ralph vs Internet", a sequela de "Força Ralph " (2012), no qual o simpático vilão dos videojogos descobre a Internet e tenta tornar-se viral para juntar dinheiro e comprar uma peça para o jogo da sua melhor amiga, Vanellope von Schweetz.

Mas tornar-se viral pode ser um sonho... ou um pesadelo.

Dois meses antes da sua estreia nos Estados Unidos, em 21 de novembro, as redes sociais explodiram após o estúdio divulgar imagens de uma cena do filme: o encontro de Vanellope com as princesas da Disney.

Na imagem estavam todas elas: de Branca de Neve a Ariel, passando por Jasmine, Pocahontas, Vaiana e Tiana, que num primeiro momento - usando o seu vestido de baile - aparece com sua pele negra.

Mas depois, numa festa do pijama, aparece com um tom de pele mais claro e um cabelo "ao natural", que muitas mulheres negras consideraram nada realista.

Anika Noni Rose, que deu voz a Tiana na animação de 2009 e agora em "Força Ralph: Ralph vs Internet", ficou surpreendida.

"Estava muito diferente, com a pele mais clara e traços mais finos", escreveu esta semana no Instagram a cantora e atriz americana, vencedora do prémio Tony. "Fiquei tão surpresa quanto os fãs".

"Ligámos para o estúdio para falar destas mudanças visuais e, três semanas depois, tive uma reunião pessoalmente com a equipa de 'Força Ralph', o meu animador original Mark Henn [de 'A Princesa e o Sapo'] e outros" para mudar a animação".

A explicação que foi dada à artista é que a animação CGI fazia "coisas diferentes aos tons de cor das personagens perante iluminações diferentes comparado com as personagens originais desenhadas à mão" e lhe foi garantido que, para "preservar o seu legado", seriam tomadas medidas para trazer o tom de pele e o nariz que tinham desaparecido.

Brandi Collins-Dexter, diretora da ONG "Color of Change" - que lançou uma campanha contra o "branqueamento" da personagem - disse à AFP que a Disney "irá redesenhar" a personagem como "uma orgulhosa princesa negra com os lábios carnudos e a pele e os cabelos escuros", mostrando "o seu empenho em abordar as preocupações dos membros da 'Color Of Change' e da comunidade negra".

A campanha Color of Change

O estúdio, por sua vez, não fez comentários, mas segundo o Wall Street Journal, o processo de reanimação da personagem começou  "logo a seguir às imagens terem sido divulgadas".

Sapatinho afiado

A polémica mancha o que pode ser a cena mais divertida desta sequela, na qual ambos os personagens de videojogo entram na Internet para comprar o volante do jogo de corrida de carros de Vanellope, "Sugar Rush", que uma criança partiu. Eles decidem que conseguirão o dinheiro através dos vídeos virais.

No seu percurso pelo ciberespaço, Vanellope acaba no camarim das princesas - que tem um cartaz de "área restrita" - quando foge dos Stormtroopers de "Star Wars" no site "Oh My Disney".

Ao vê-la, a reação das princesas é hostil. Cinderela, inclusive, parte o seu sapatinho de cristal como se fosse uma garrafa e a ameaça com a parte afiada.

"Eu também sou uma princesa", diz a menina, antes de ser questionada sobre os seus poderes, o seu cabelo, se fala com os animais, se foi envenenada, sequestrada ou enfeitiçada. A tudo responde que não e acrescenta: "Preciso chamar a polícia?".

"As pessoas assumem que todos os seus problemas são resolvidos porque um homem forte e grande aparece?", pergunta Rapunzel.

"Sim", afirma Vanellope com tom incomodado. "Por que todos acham isso?".

"Você é uma princesa!", exclamam todas em coro, antes de começarem a trocar de roupa e fazer uma festa do pijama, inspirada na roupa confortável da personagem de videogame.

Pamela Ribon escreveu a cena. Ao terminar o primeiro rascunho, "li e tive um ataque de pânico", recordou.

"Deitei-me no chão e disse a mim mesma: 'ou me demitem ou isto ficará excelente'". Cheguei a pensar que a cena não seria aprovada, mas foi, contou.

A Disney, inclusive, usou as vozes originais da maioria das princesas, incluindo a de Anika Noni Rose.

A diretora de arte, Ami Thompson, e a chefe de animação, Kira Lehtomaki, enfrentaram o desafio de transformar esses desenhos em 2D em imagens computadorizadas (CGI).

"Demos-nos conta de que estavam desenhados de maneira muito diferente e, por isso, decidimos fazer uma versão 'Oh My Disney' das princesas", explicou Lehtomaki. E o resultado foi... viral.

VEJA O TRAILER DO FILME.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.