Bradley Cooper enfureceu alguns dos seus admiradores ao ser visto na convenção do Partido Democrata em Filadélfia, que teve lugar na sua cidade natal.

Ao contrário de Meryl Streep, Eva Longoria, Demi Lovato ou Sarah Silverman, que foram oradores, o ator de 41 anos só marcou presença com a namorada Irina Shayk entre o público na quarta-feira à noite, mas bastou ser apanhado pelas câmaras para começar um frenesim nas redes sociais.

Alguns votantes do Partido Republicano não esconderam o choque, no que parece ser um caso de confusão entre ficção e realidade: o ator de 41 anos interpretou Chris Kyle no filme "Sniper Americano".

O Comando Naval de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos, assassinado em 2013, é um ícone conservador e muitos defendem que o filme, realizado por Clint Eastwood, um conhecido republicano, também tinha o mesmo ponto de vista.

"Bradley Cooper a promover Hillary? Azar. Para mim agora está morto", foi um dos comentários publicados no Twitter que espelham o sentimento de desilusão, com outros a jurarem que não voltarão a ver os filmes de um "apoiante do socialismo".

Em reação, outros comentários gozaram com o facto dos republicanos pensarem que Cooper era de direita.

Numa referência à sua personagem em "Guardiões da Galáxia", um escreveu que "pessoas perturbadas por Bradley Cooper, que foi o 'Sniper Americano', não ser um republicano, é como ficar perturbado por ele não ser um verdadeiro guaxinim do espaço".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.