O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse estar muito feliz pelo reconhecimento internacional ao cinema do seu país.

"Estendo o meu agradecimento especialmente por dar sentido à coragem e ao orgulho do povo sul-coreano", disse Moon, acrescentando que "estou muito orgulhoso do realizador Bong Joon-ho".

"Parasitas" ganhou quatro prémios: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Filme Internacional e Melhor Argumento Original.

"Caem-me as lágrimas", escreveu um sul-coreano no Twitter. "Estou orgulhoso de Bong Joon-ho. É incrível ouvir discursos de aceitação em coreano", completou.

Parasitas

Outro internauta perguntava se não seria possível estabelecer feriado nacional para celebrar a vitória.

O embaixador dos Estados Unidos na Coreia do Sul, Harry Harris, publicou um tweet de felicitações com uma foto do que parece ser um "ram-don", um prato de ramen que aparece no filme.

"Uau! Parabéns ao realizador Bong, à equipa de #Parasitas e ao cinema de ROK", ou República da Coreia, escreveu Harris.

O sucesso de "Parasitas" rompeu, assim, o domínio dos filmes em inglês nos 92 anos de história da Academia de Hollywood.

A atriz canadiana Sandra Oh, filha de imigrantes sul-coreanos que foi uma das estrelas presentes na cerimónia, disse estar "orgulhosa" das suas raízes.

"Espero que todos os cineastas coreanos compartilhem este momento e estejam orgulhosos, porque foi o trabalho enormemente duro e o profissionalismo de toda a indústria que tornou possível um filme como 'Parasitas'", afirmou Darcy Paquet, uma crítica cinematográfica que vive em Seul e fez as legendas da obra em inglês.

"Parasitas" é uma comédia de humor negro, que conta a história de uma família pobre de golpistas que se infiltra na casa de uma família rica, num olhar quase universal sobre o abismo de classes cada vez maior.

"Vou beber até amanhã", brincou o cineasta sul-coreano, ao celebrar as primeiras vitórias do seu país na história dos Óscares.

"Foi uma noite incrível, difícil de acreditar", acrescentou Bong, auxiliado por uma tradutora. "Acho que vou acordar e perceber que é um sonho", completou.

"Não tenho palavras", afirmou a produtora Kwak Sin-ae. "Nunca imaginámos que isto aconteceria, estamos muito felizes, sinto que estamos a viver História neste momento. Expresso a minha gratidão e respeito a todos os membros da Academia".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.