As centenas de cinemas que tinham reaberto as portas na China há menos de uma semana receberam ordens para voltar a fechar.

O organismo nacional de cinema contactou os exibidores esta sexta-feira (27) para os informar da decisão, sem ter indicado qualquer nova data para reabrir, confirmou o Deadline.

A China, onde surgiu o primeiro foco de COVID-19 em dezembro e se preparava para estar entre os primeiros a planear o regresso à normalidade após um aparente controlo da pandemia, tem agora como prioridade combater os casos importados para evitar uma segunda vaga de infeções.

Na noite de quinta-feira (26), as autoridades anunciaram o fecho temporário das fronteiras para a maioria dos estrangeiros e o corte dos voos internacionais a partir da meia-noite de sábado (horal local).

Durante o último fim de semana (21 e 22), cerca de 500 dos mais de 70 mil cinemas reabriram pela primeira vez desde o fecho forçado no final de janeiro por causa da pandemia. O mesmo estava previsto para mais 205 cinemas em Xangai este sábado (28).

Apesar de representarem apenas uma fração do total e não serem os cinemas dos maiores exibidores, tratava-se de um sinal otimista para um setor que já sofreu perdas de mais de dois mil milhões de dólares.

A reabertura foi apenas nas zonas sem novos casos e sob rigorosas medidas de segurança, com a exibição a preços convidativos de vários sucessos americanos e chineses dos últimos anos.

A expectativa era que a estrutura local estivesse novamente operacional  a 1 de maio se não existissem retrocessos, prazo que agora fica em causa com a ordem de encerramento.

Mais informações sobre o COVID-19.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.