Segundo adiantou à agência Lusa a organização do festival, está prevista a antestreia de
«This is not a film», dos realizadores iranianos
Jafar Panahi e
Mojtaba Mirtahmasb, que estão ambos presos.

Jafar Panahi foi condenado a seis anos de prisão e está proibido de sair do Irão por ter feito este filme semi-clandestino sobre uma manifestação de opositores ao regime de Teerão em 2009.

Jafar Panahi foi distinguido no último festival de cinema de Cannes com o prémio da Associação de Realizadores. O realizador não pôde estar em Cannes, tendo a realizadora belga
Agnès Varda recebido o prémio em seu nome e tendo o seu filme sido exibido no festival.

A organização do DocLisboa revelou ainda três dos filmes dedicados aos movimentos político-sociais que têm despontado em países árabes e que integram a programação do festival.

Na secção Riscos, «pela sua atualidade, por ser um registo da visão de várias pessoas e ao mesmo tempo uma imagem criada coletivamente», será exibido
«Fragments d'une Révolution».

Filmado pelos cidadãos iranianos durante as manifestações que se seguiram às eleições de 2009, marcadas por acusações de fraude, «Fragments d'une Révolution» foi distinguido com dois prémios no Festival Cinéma du Réel 2011.

Na Competição Internacional estará
«Tahrir - Liberation Square», de Stefano Savona, filmado no Egito durante as duas semanas de agitação social que culminaram no derrube do regime de Hosni Mubarak.

Na Selecção Internacional - Fora de Competição estará
«Plus jamais peur», de Mourad Ben Cheikh, sobre a revolução tunisina e que foi apresentado no último festival de Cannes, também fora de competição.

A programação do Doclisboa será apresentada no dia 06 de outubro na Culturgest, em Lisboa.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.