O Festival Internacional Filmes sobre Arte Portugal vai regressar a Lisboa, de 16 a 19 de fevereiro, para exibir 18 filmes, dos quais cinco portugueses, e todos os filmes internacionais em estreia mundial ou nacional, anunciou a organização.

De acordo com a organizadora, a artista e programadora Rajele Jain, nesta nona edição voltam a estar em foco filmes que abordam temas artísticos em diferentes disciplinas, desde as artes visuais, fotografia, teatro, literatura, música, entre outras.

Entre outros, vai ser exibido um filme criado pelo cineasta português Pedro Cadeira sobre o pintor Chinês Mio Pang Fei, censurado pela Revolução Cultural Chinesa, e “Act & Punishment”, por Evgeniy Mitta, sobre o pensamento, vida e obra do grupo de artistas e ativistas Pussy Riot.

Será também exibido “How To Shape a City”, do realizador Turco Caner Kaya, sobre o impacto da arte na comunidade de uma cidade, e a recetividade ao desconhecido; o filme “Madman’s Conspirancy”, do russo Algis Arlauskas; e ainda "Home is not a Place", pelo realizador polaco Pawel Schnabel, que reflete os desafios, dúvidas e problemas que atores e dançarinos têm de conquistar numa vida dura e disciplinada, sob circunstâncias difíceis.

Dúvidas e pesquisas serão tema de filmes como “Donkey’s Head”, de Pedro Bastos, “This is not My Voice”, por Rui Mourão, e também em “Pontas Soltas”, por Ricardo Oliveira, todos eles realizadores portugueses.

Devido a limitações no orçamento - este ano totalmente privado - o festival reduziu o número das sessões a dois terços, e também a seleção de filmes portugueses em competição, o que levou a que este ano não haja distinção entre os prémios atribuídos a filmes nacionais e internacionais, indicou Rajele Jain, à agência Lusa.

"Não conseguimos nenhum apoio público. O festival teve de ser reduzido de cinco para quatro dias", acrescentou, sobre esta nona edição do certame, que reflete a importância da arte na sociedade.

Desde o lançamento, em 2008, o festival apresentou cerca de duzentos e quarenta filmes, introduzindo o universo e práticas artísticas de mais de trezentos e cinquenta criadores, músicos, bailarinos, realizadores e escritores, segundo um balanço da atividade elaborado pela organização.

Criado pela artista e programadora Rajele Jain, o Festival Internacional Filmes sobre Arte Portugal teve inicialmente o apoio do Festival Temps D’Images e, desde 2015, é produzido de forma independente pela Associação Cultural Vipulamati: Ample Intelligence.

O festival - que irá este ano decorrer na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa - irá distinguir cinco filmes através de três prémios, e duas menções honrosas.

A sessão de abertura está prevista para as 18:00 do dia 16 de fevereiro, com o filme "Tempestades - Ensaio de um Ensaio", de Uli Decker, numa produção Portugal/Alemanha.

O certame cinéfilo tem o apoio de Club of the Knobs - Analog Modular Synthesizer, Digital Azul Audiovisuais e Fundação Moranguinho.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.