O cineasta britânico Guy Hamilton, realizador de quatro históricos filmes da saga James Bond, morreu aos 93 anos, anunciou esta quinta-feira Roger Moore, um dos atores que interpretou o agente britânico 007.

"Incrivelmente triste por saber que o maravilhoso realizador Guy Hamilton foi para a sala de montagem do céu", afirmou Moore, que foi dirigido pelo cineasta em "007 - Vive e Deixa Morrer" (1973), a sua estreia no papel, e ainda em "007 - O Homem da Pistola Dourada" (1974).

Hamilton dirigiu outros dois filmes de Bond, "007 - Contra Goldfinger" (1964), o primeiro onde surge amadurecidos os elementos que se tornariam indissociáveis da saga, e "007 - Os Diamantes São Eternos" (1971), com Sean Connery como protagonista.

Com exceção deste último, os outros estão estão geralmente nas listas dos melhores filmes sobre o 007.

Na sua mensagem, Moore acrescentou que 2016 está sendo "péssimo", pois a morte acontece poucas semanas depois da de Ken Adam, o designer de produção responsável pela estética dos filmes do superagente nos anos 1960 e 1970. Entre as grandes criações estão o interior do Fort Knox no filme "Goldfinger" e o quartel-general do vilão em "Agente Secreto 007" (1962).

Nascido em Paris em 1922, filho de um diplomata, Hamilton estudou na França e na Grã-Bretanha. Com o desejo de ser um realizador de cinema, começou a trabalhar aos 18 anos num estúdio de Nice, sul da França. A guerra obrigou-o a mudar de planos e alistou-se na Marinha britânica.

Ao final da Segunda Guerra Mundial, regressou ao cinema, como assistente de Carol Reed, incluindo na obra-prima "O Terceiro Homem", de quem disse que lhe ensinou tudo.

Em 1952 dirigiu o seu primeiro filme, "O Incógnito", um policial, um de seus géneros preferidos.

Em 1955 lançou "The Colditz Story", um dos filmes britânicos sobre fugas mais famosos, que mostrava prisioneiros de guerra aliados num castelo medieval com a reputação de ser precisamente à prova de fugas.

Quatro anos depois dirigiu o trio Burt Lancaster, Kirk Douglas e Laurence Olivier em "O Aprendiz do Diabo".

"An Inspector Calls" (1954), "O Melhor dos Inimigos" (1961), "O Meu Funeral em Berlim" (1966), "A Batalha de Inglaterra" (1969), "Os Comandos de Navarone" (1978) e duas adaptações de obras de Agatha Christie, "Espelho Quebrado" (1980) e "Morte ao Sol" (1982) são outros destaques na sua filmografia.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.