Julie Andrews recusou fazer uma pequena participação na sequela de "Mary Poppins", o icónico filme de 1964 que lhe deu o Óscar.

"Mary Poppins Returns" terá Emily Blunt no papel da ama perfeita que vem dos céus novamente para animar as "suas" crianças da família Banks.

Agora adultas, interpretadas por Ben Whishaw e Emily Mortimer, o projeto traz de volta um dos atores do filme original,  Dick Van Dyke, para, nas palavras do próprio, "uma pequena canção e número de dança".

Por seu lado, Julie Andrews preferiu não fazer uma participação simbólica e deu uma graciosa justificação ao realizador Rob Marshall, com quem trabalhou uma vez numa versão para televisão do seu filme "Victor/Victoria" (1982)

"A Julie foi incrivelmente graciosa e falámos sobre isso de uma forma muito genérica, mas ela foi clara logo à partida", explicou à revista Entertainment Weekly.

"Ela disse 'Isto é o filme da Emily e realmente quero que seja o filme da Emily. Não quer que seja 'Ah, ali vem aquela Mary Poppins'. Não quero isso. Quero que seja ela a fazer isto e ter sucesso, porque ela vai ser brilhante'", continuou o realizador.

A lendária atriz terá ainda dito que já era tempo de fazer uma sequela e sabia que todos iriam respeitar o legado do original.

E essa foi a garantia de Rob Marshall: "Julie será sempre, para mim e para todos, a mais espantosa interpretação de Mary Poppins, ganhando o Óscar e tornando-se de forma tão brilhante uma estrela".

"Mas a Emily é a pessoa perfeita para carregar a tocha e sei que a Julia sente exatamente o mesmo. Ela adora-a", concluiu.

"Mary Poppins Returns" chega às salas de cinema a 25 de dezmebro de 2018.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.