A polémica rodeia "Nada a Perder", o filme sobre a trajetória do bispo Edir Macedo, o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), que estreou a 30 de março no Brasil.

A primeira andou à volta de quantos espectadores realmente assistiram às sessões: produtora e distribuidora anunciaram que foram vendidos 2,3 milhões de bilhetes no fim de semana da estreia.

Por comparação, "Ready Player One: Jogador 1", de Steven Spielberg, também inédito, ficou-se pelos 380 mil espectadores.

Vários meios de comunicação brasileiros colocaram o valor em causa, denunciando sessões quase vazias, consequência da compra em massa de ingressos para distribuir aos fiéis, muitos dos quais acabaram por não comparecer.

A alegada manipulação de números poderá não ter ficado por aí.

O blogger Mauricio Stycer notou que o filme conseguiu ainda um feito praticamente sem paralelo na história do site Internet Movie Database, a popular base de dados conhecida por IMDB: os mais de 15 mil utilizadores que votaram avaliaram-no com nota máxima de 10.

Isto colocava-o na rota para se tornar um dos mais bem classificados de sempre, como chamou a atenção o programa "Domingo Espetacular", emitido no último domingo (8), emitido no canal Record, que pertence à IURD.

"O desempenho compara-se a filmes como ‘O Padrinho’, lançado em 1972, e ‘Os Condenados de Shawshank', de 1994, os dois mais populares do ranking”, notava a jornalista Evelyn Bastos, citada por Mauricio Stycer.

"Para se ter uma ideia, o filme vencedor do Óscar este ano, ‘A Forma da Água’, tem nota 7,5, um ponto e meio a menos que ‘Nada a Perder’. 'ET, o Extraterrestre' tem nota 7,9”, acrescentava.

Outra coisa que chegou a atenção no IMDB: a quantidade de críticas positivas escritas em inglês por utilizadores brasileiros, com textos muito semelhantes.

Segundo Mauricio Stycer, poucos minutos após a reportagem no "Domingo Espetacular", o site recebeu dezenas de denúncias de fraudes e acabou por apagar a maioria: das cerca de 150 no domingo restam 10 esta terça-feira.

Sobrevive o comportamento das votações: a classificação do filme desceu de 10 para uns ainda impressionantes 8,1. Com quase 19 mil votos, cerca de 16 mil dão nota 10 e 2600 nota 1.  As restantes são insignificantes.

Não é a primeira vez que se mostra que as votações no popular site podem ser facilmente manipuladas pelos desestabilizadores "trolls": no ano passado, "A Promessa", um filme com Christian Bale e Oscar Isaacs que teve cenas rodadas em Portugal em setembro, foi alvo de uma persistente campanha de sabotagem: tinha 120 mil votos, dos quais mais de 61 mil ficam pela nota mínima, uma estrela.

O problema? A estreia só estava marcada para várias semanas mais tarde.

"A Promessa" chegou a ter 1,8 estrelas, colocando-o entre os 10 piores filmes de sempre no site. Comprovou-se que isto aconteceu após uma operação orquestrada por ativistas turcos na popular rede social İnci Sözlük com o objetivo de arrasar a classificação do filme, que se passa na altura do genocídio na Arménia nos primeiros anos do século XX, sempre negado pela Turquia.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.