A Netflix vai continuar a ser o estúdio de Adam Sandler.

A plataforma de streaming anunciou o prolongamento do contrato com o ator para mais quatro filmes.

Durante muitos anos, as comédias de Adam Sandler foram grandes sucessos nas salas de cinema, mas quando os seus fãs rejeitaram sucessivamente "Jack e Jill" (2011), "Pai Infernal" (2012) e "Umas Férias Inesperadas" (2014), a estrela virou-se para o Netflix, libertando-se assim dos relatos incómodos sobre as receitas de bilheteira.

A mudança histórica acabou por se revelar premonitória: o contrato que assinou em 2014 tornou-o a primeira estrela de cinema a fazer filmes exclusivos para uma Netflix ainda a dar os primeiros passos na área.

Os filmes foram "The Ridiculous 6", "The Do-Over", "Sandy Wexler", "The Week Of" e "Murder Mystery".

Além disso, um espetáculo especial de "stand-up", o seu primeiro em 22 anos, também foi lançado na plataforma, assim como "Father of the Year", um filme da sua produtora Happy Madison.

Adam Sandler "ameaça": ou lhe dão o Óscar ou faz um mau filme
Adam Sandler "ameaça": ou lhe dão o Óscar ou faz um mau filme
Ver artigo

A renovação do contrato não é uma surpresa: antes de anunciar que "Murder Mystery", o filme que fez com Jennifer Aniston, foi o mais popular em 2019 nos EUA ou que os seus subscritores passaram duas mil milhões de horas a ver as comédias do ator, já em abril de 2017 a Netflix desvendava que elas eram as mais vistas no seu serviço.

Paralelamente, Adam Sandler foi muito elogiado no regresso às salas de cinema com trabalho dramático como um viciado em jogo que tenta escapar do gigantesco buraco de dívidas em "Diamante Bruto", dos irmãos Safdie.

A Netflix disponibilizou o filme a nível internacional a 30 de janeiro.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.