"'Bora Lá" foi banido em vários países do Médio Oriente por causa da referência a uma relação lésbica, confirmou o Deadline Hollywood.

A cena em questão mostra as duas personagens principais (com as vozes originais de Chris Pratt e Tom Holland) disfarçadas a conversar com duas mulheres polícias e uma delas, Specter, refere-se à "filha da minha namorada".

Apesar das análises coincidirem que a personagem é de tal forma secundária e o momento tão breve que "se perde num piscar de olhos", Arábia Saudita, Kuwait, Oman e Qatar foram os países que não autorizaram a estreia da nova animação da Disney*Pixar.

Outros países da região autorizaram a estreia, como o Egito, Líbano e Bahrain.

Na Rússia, onde existe censura social e a legislação tem endurecido contra a comunidade LGBT, alterou de "namorada" para "parceira".

Apesar da brevidade do instante, a personagem com a voz original de Lena Waithe tem sido descrita como a primeira "abertamente gay" da Disney.

Specter

No primeiro fim de semana de exibição, "'Bora Lá" desiludiu nas bilheteiras ao arrecadar 68 milhões de dólares a nível global, o que incluiu 40 nos EUA, o que está ao nível de quatro das estreias mais baixas nas 22 longas-metragens da Pixar.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.