Naquele festival, dedicado ao património cinematográfico, será exibida uma cópia recentemente digitalizada pela Cinemateca daquele que é descrito como "o mais célebre filme da revolução portuguesa".

"As Armas e o Povo" é um dos exemplos do cinema militante português realizado pelo então denominado Coletivo dos Trabalhadores da Actividade Cinematográfica, com a participação de nomes como o diretor de fotografia Acácio de Almeida, os realizadores Fernando Lopes, Alberto Seixas SAntos e Fernando Matos Silva, o produtor António da Cunha Telles e o realizador brasileiro Glauber Rocha.

O filme foi rodado entre os dias 25 de Abril e 1 de Maio de 1974, com imagens dos portugueses nas ruas nos dias seguintes à revolução, das "grandes movimentações de massas aos discursos de Mário Soares e Álvaro Cunhal e a libertação dos presos políticos".

No entender da Cinemateca, "As Armas e o Povo" é "um manifesto sobre a relação entre cinema e política, não apenas como mero difusor dos acontecimentos, mas sobretudo como participante ativo do ato revolucionário".

O filme coletivo, que será editado em DVD pela Cinemateca, será exibido nos dias 14 e 15 naquele festival em Lyon, cidade historicamente ligada aos primórdios do cinema, por causa dos pioneiros Louis e Auguste Lumière.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.