Chega esta semana às salas nacionais "O Meu Pai é um Perigo", que revela uma nova e improvável dupla no cinema: Sebastian Maniscalco, elogiado pelo jornal The New York Times como o comediante mais badalado na América, e Robert De Niro, vencedor de dois Óscares e celebrado pelos seus papéis dramáticos ao longo de uma lendária carreira.

A história anda à volta de Sebastian, convidado pela sua namorada Ellie (Leslie Bibb), para passar o fim de semana do 4 de julho na Virginia com a sua família super-rica e excêntrica. Só há um problema: o que fazer com o pai de Sebastian, o imigrante e cabeleireiro Salvo (De Niro), que estava a contar com a companhia do filho? Ellie tem a solução: ele que venha também.

Inicialmente, Sebastian mostra relutância, temendo o contraste entre ele e o pai com o clã sofisticado da noiva. E com razão: ao longo dos 90 minutos do filme, os espectadores vão descobrir como as diferenças culturais na forma de ser e estar na vida vão transformar os dias de descanso num autêntico carrossel de emoções e humor.

Uma história perto do coração

Praticamente desconhecido em Portugal, Sebastian Maniscalco já não precisa de grandes apresentações nos EUA, onde foi proclamado o "rei incontestável da comédia física".

Com uma dedicada base de fãs construída ao longo de uma carreira de mais de 20 anos, os seus espetáculos de "stand-up" esgotam locais emblemáticos como o Madison Square Garden, Radio City Music Hall e o Barclays Center, em Nova Iorque, e o United Center de Chicago.

A popularidade solidificou-se com vários programas especiais de comédia de grande popularidade para os canais Comedy Central, Showtime e, mais recentemente, Netflix, incluindo o último, "Sebastian Maniscalco: Is it Me?", lançado em dezembro do ano passado e filmado durante uma estadia de espetáculos em Las Vegas.

Transcendendo gerações, o seu humor descrito como "estilisticamente nostálgico" baseia-se nas experiências familiares pessoais, como a de ter sido educado "à moda antiga" por um pai imigrante vulcânico, frugal e disciplinado, ou, inevitavelmente, da sua observação dos comportamentos estranhos das pessoas.

Essa experiência passa agora para o grande ecrã, com "O Meu Pai é um Perigo", onde é a estrela e co-argumentista: a sua vida inspira grande parte da história e das personagens.

"O filme é sobre duas famílias diferentes, de contextos socio-económicos muito diferentes, que colidem durante um fim de semana de festa, antes de perceberem que essas diferenças são o que os torna únicos", nota o comediante, que já teve pequenos papéis no cinema em "Green Book" (2018), "Jogo da Apanhada" (2018) e "O Irlandês" (2019).

A interpretar uma versão de si mesmo, o Sebastian do filme “está a tentar andar na corda bamba com o seu pai ao trazê-lo para um ambiente que lhe é desconhecido”.

Austen Earl, também comediante e parceiro de escrita, foi um dos que notou como a sua vida e as pessoas que fazem parte dela eram a inspiração perfeita para um filme: "O Sebastian e eu sempre trocámos ideias e histórias sobre os nossos pais muito agressivos e como eles nos embaraçavam. Isso juntou-nos e sentimos que havia uma grande história para ser contada sobre um filho que se sente sempre mortificado pelo seu pai, mas aprende a amá-lo e estar outra vez grato por tudo o que ele fez por si".

"Também é uma comédia romântica, uma história entre pai e filho, e uma história de amor. Tal como a sua personagem no filme, o Sebastian casou com uma mulher que é de uma cultura e nível de riqueza diferentes", nota o produtor Andrew Miano.

Salvo, que veio com os pais da Sicília para a América em 1960 aos 15 anos, tem hábitos, comportamentos e opiniões bem enraizados, enquanto o filho "está mais aberto a diferentes estilos de vida e pessoas” e "é apanhado entre estes dois mundos. O objetivo da minha personagem é navegar por essas diferenças e de alguma forma unir as duas famílias", conta Sebastian Maniscalco.

Do outro lado da "barricada", Kim Cattrall, a Samantha Jones de "O Sexo e a Cidade", destaca-se no papel da imperiosa Tigger McArthur Collins, que vê a filha apaixonada por alguém que não é da mesma classe social.

"Muito culta, muito inteligente e muito tenaz. Como muitas mulheres que alcançaram uma posição de nível elevado, ela teve que lutar para chegar ao topo. A Tigger é uma maníaca pelo controlo e gosta de colocar as coisas numa caixa muito precisa. Quando ela conhece Salvo e Sebastian, não é o que ela espera ou deseja para a sua filha. Mas é exatamente o que ela deveria ter", destaca a atriz sobre a sua personagem.

O trailer mostra vários dos choques culturais e choques geracionais: o clã Collins a mostrar afeto entre si, enquanto Sebastian recorda ao pai que ele é do género de apenas cumprimentar com a mão o seu recém-nascido; os Collins investem a sua fortuna no mercado de ações... Salvo coloca o seu dinheiro ganho com muito sacrifício num pote de maionese que enterra no quintal.

Além disso, os Collins têm uma família de pavões exóticos como animais de estimação, que Salvo encara como um excelente jantar.

TRAILER.

Um "tipo implacável" chamado Robert De Niro

Instrumental é o "casting" de Robert De Niro: Sebastian Maniscalco trabalhou com o lendário ator em "O Irlandês", de Martin Scorsese, que já conhecia o seu estilo de humor ao ir a um dos seus espetáculos esgotados em Nova Iorque.

"Obviamente, De Niro foi a minha primeira escolha para o papel de Salvo e quando soubemos que ele estava interessado, ficámos tipo 'uau'", reconhece o comediante.

A lenda explicou o que o atraiu para o argumento: "Vi que tinha um elemento pessoal da experiência do Sebastian. E depois de ficar a conhecer um pouco a [realizadora] Laura Terruso, percebi o passado dela também. Eles conheciam o mundo. Eles são do mundo. Portanto, isso foi foi uma parte importante".

A imagem mais dramática de De Niro começou a mudar com o sucesso de "Uma Questão de Nervos" no final dos anos 1990, onde interpretava um patrão da máfia com uma crise de insegurança e ataques de pânico que recorria a um psiquiatra. Seguiram-se outras comédias, mas "O Meu Pai é um Perigo" é a primeira vez que interpreta no género uma pessoa verídica. E, ainda por cima, um italo-americano.

Sem surpresa, ele mergulhou no famoso e meticuloso processo de pesquisa e imersão no papel, incluindo conhecer Salvo e o seu trabalho como cabeleireiro.

"Alguém me filmou a trabalhar no meu salão. Uso muito as mãos quando falo – realmente não consigo falar sem fazer isso; faz parte da minha personalidade. Portanto, o De Niro viu a gravação de mim e das minhas mãos a trabalhar", recorda o verdadeira Salvo, na atividade desde os 18 anos e agora, com mais de 80, só parou durante alguns meses durante a pandemia.

Além dos inevitáveis contactos por zoom naquela altura, houve ainda encontros pessoais que se prolongaram por várias horas, nomeadamente quando De Niro estava a filmar "Killers of the Flower Moon" com Scorsese, em Tulsa, no Oklahoma, e mesmo durante toda a rodagem da comédia.

"Ele estava constantemente a telefonar. O meu pai sempre foi um trabalhador dedicado, mas disse-lhe a brincar, 'Acho que encontrámos alguém que ainda trabalha mais do que tu. O tipo era implacável", recorda com admiração Sebastian Maniscalco.

"Ele realmente quer conhecer a sua personagem", concorda Salvo antes de especificar que "quer saber muitos detalhes diferentes que fazem parte disto e eu gosto disso. [...] Quer saber tudo. Portanto, dei-lhe o que sei e ele fez o resto".

Sebastian Maniscalco escreveu o filme como uma "carta de amor" para o pai: "O Salvo foi fundamental na minha carreira. Tem-me apoiado como o meu maior fã – e crítico. Fizemos esta jornada juntos, começando durante os meus anos no liceu, quando partilhámos a paixão pelo futebol. Depois, quando me tornei um comediante de 'stand-up', passou para isso. O Salvo ainda dá a sua opinião sobre o que gosta e não gosta da minha atuação".

"Agora, juntou-se a mim nesta jornada com 'O Meu Pai é um Perigo'", acrescenta.

A rir, o progenitor dá-lhe a réplica perfeita: "Sou o consultor no filme. Estive na rodagem para ter a certeza que me estavam a fazer justiça!”.

E em Portugal, como seria?

Quem nunca teve situações bizarras ou embaraçosas a envolver a família? Ou se sentiu com vontade de desaparecer por um buraco no chão por causa do comportamento de um pai?

A comediante e radialista Joana Gama foi à procura dessas histórias que todos temos...

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.