«Depois de mais de seis décadas, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas está a voltar às suas raízes, quando uma maior selecção competia para o prémio máximo do ano», disse Ganis numa conferência de imprensa.
«O resultado final será o mesmo, um vencedor apenas, mas a corrida até à meta vai ter dez nomeados e não apenas cinco», confirmou.

Durante mais de uma década, nos primórdios da Academia, a categoria de
Melhor Filme tinha mais do que cinco nomeados na sua lista e durante nove anos dez películas competiam pelo galardão. A 16ª edição dos Óscares foi a última a ter tantos contendores, o mesmo ano em que
«Casablanca» saiu vencedor.

«Ter dez nomeados vai permitir aos membros da Academia dar reconhecimento a alguns dos fantásticos filmes que, muitas das vezes, surgem em outras categorias mas não conseguiram ser incluídos na corrida ao prémio mais cobiçado», explicou o presidente, acrescentado que está
«ansioso por ver como vai ser a lista de dez anunciada em Fevereiro».

Ainda está distante o anúncio dos nomeados que deverá ocorrer a 2 de Fevereiro do próximo ano, abrindo caminho para a 82ª edição da cerimónia dos Óscares.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.