Kristen Stewart

Do trio de protagonistas de «Twilight»,
Stewart era a que estava mais fadada para brilhar em Hollywood. Nascida em Los Angeles em 1990, filha de um produtor de televisão e de uma supervisora de continuidade, a jovem cresceu no negócio e, sem surpresas, começou a atuar aos oito anos. De início, conseguiu papéis sem qualquer relevo no telefilme da Disney «The Thirteenth Year» (1999) e em «Os Flinstones em Viva Rock Vegas» (2000), mas começou a dar nas vistas logo em 2001 no filme independente
«Gritos em Silêncio», no meio de um elenco de notáveis em que interpreta a filha maria-rapaz de
Patricia Clarkson.

O seu primeiro papel importante chegou aos 12 anos pela mão de
David Fincher no grande sucesso que foi
«Sala de Pânico», no papel da filha diabética de
Jodie Foster (2002). Logo a seguir, continua no território do thriller cheio de estrelas com
«A Casa de Campo», agora como filha de
Dennis Quaid e
Sharon Stone.

O talento de Stewart para interpretar jovens em risco e algo desenquadradas era evidente, e após passar pela comédia juvenil «Catch That Kid», a atriz destacou-se no telefilme «Speak» como uma estudante de liceu que quase deixa de falar após ser violada. Seguiram-se prestações sólidas numa mistura de filmes fantásticos (
«Zathura - Aventura no Espaço»), thrillers (
«Os Mensageiros»), dramas (
«O Lado Selvagem»,
«No Mundo das Mulheres») e fitas independentes («Fierce People»), até chegar o super-êxito com o papel de Bella Swan no primeiro filme da saga
«Twilight», em 2008.

Já como estrela de craveira mundial, Stewart tem optado por alternar os filmes da saga «Twilight» com papéis arrojados em produções independentes, brilhando como prostituta em «Welcome to the Rileys» ou como Joan Jett em
«The Runaways», antes de abraçar um novo «blockbuster» em
«Branca de Neve o Caçador». Brevemente vamos vê-la na adaptação de
«On the Road».

Robert Pattinson

A carreira inicial de
Robert Pattinson afastava-o mais do super-estrelato do que qualquer um dos membros do trio protagonista de «Twilight». Por um lado, pela distância geográfica: o ator nasceu deste lado do Atlântico, em Londres, em 1986, e a única aproximação que tinha ao mundo do espetáculo era o facto de a sua mãe trabalhar numa agência de modelos. Por outro lado, pela paixão inicial pelo teatro, Pattinson envolveu-se desde cedo nas artes de palco, interpretando peças como «Guys and Dolls», «Tess of the d'Urbervilles» ou «MacBeth», que nada fariam adivinhar o ídolo de adolescentes em que se tornaria.

Os seus inícios no ecrã não foram auspiciosos: participou numa versão televisiva de «O Anel dos Nibelungos» filmada na África do Sul e ainda no filme
«Feira das Vaidades», de
Mira Nair, mas as suas cenas foram cortadas da montagem final. A sua má sorte terminou em 2005, aos 19 anos, quando se estreou no cinema a interpretar Cedric Diggory em
«Harry Potter e o Cálice de Fogo».

O super-estrelato de «Twilight», com o qual sempre revelou grande desconforto, permitiu-lhe participar em alguns filmes independentes como «Little Ashes» (no papel de Salvador Dali) ou «How to Be», e jogar com a sua fama em dramas como
«Lembra-te de Mim» e
«Água para Elefantes». O apreço crítico alargado chegou com o poderoso
«Cosmopolis», realizado pelo prestigiado
David Cronenberg, e parece ser nessa linha que o ator pretende continuar: para o futuro já está confirmado que protagonizará com
Naomi Watts o próximo filme de
Werner Herzog, «Queen of the Desert», e a nova fita de Cronenberg, «Map to the Stars», com
Viggo Mortensen e
Rachel Weisz.

Taylor Lautner

Tal como os seus dois colegas da série «Twilight», também
Lautner começou relativamente novo na carreira de ator, mas chegou lá por via inesperada: a prática de artes marciais. Nascido na Virginia em 1992, o intérprete começou a estudar karaté aos seis anos, foi cinturão negro aos oito e venceu vários campeonatos juvenis mundiais da modalidade.

Em 2001 mudou-se com a família para Los Angeles para tentar a sorte como ator, e aí conseguiu pequenos papéis televisivos em séries como «The Bernie Mac Show» e «My Wife and Kids». Após interpretar um dos miúdos de
«À Dúzia é mais Barato 2» em 2005, teve a sua primeira hipótese de estrela com o papel protagonista de
«As Aventuras de Sharboy e Lavagirl», com o realizador Robert Rodriguez a escolhê-lo pelo seu carisma à frente das câmaras mas também pelas suas habilidades nas artes marciais.

O filme fracassou e Lautner continuou sem sorte até conseguir o papel de Jacob Black na saga «Twilight», que o transformou numa estrela a partir do segundo filme, em que os produtores começaram a fazer os possíveis por o mostrarem de tronco nu sempre que possível.

Ao contrário de Pattinson e Stewart, Lautner nunca se aventurou na área do cinema independente, nem quando a fama já lhe permitiria algumas ousadias. Desde que se tornou mundialmente conhecido, participou apenas no filme «Dia dos Namorados» com outras duas dezenas de estrelas e tentou capitalizar na sua nova imagem para se tornar um herói de ação em
«Identidade Secreta», mas sem sucesso. Agora está a rodar a sequela de
«Miúdos e Graúdos».

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.