O ano de 2023 no cinema ficará registado na história pelo "Barbenheimer".

O fenómeno que tomou conta da cultural popular durante o verão levou centenas de milhares de pessoas a ver "Barbie" e "Oppenheimer": o lançamento coincidente de dois filmes totalmente diferentes na terceira semana de julho, mas muito aguardados - uma comédia sobre a boneca icónica da Mattel pronta para pintar o mundo de rosa e um drama histórico sobre J. Robert Oppenheimer e a invenção da bomba atómica - criou um fenómeno da cultura pop de baixo para cima que transcendeu o marketing individual das produções e levou centenas de milhares de espectadores de propósito às salas, muitos vestidos a preceito (rosa, no caso do primeiro, de fato formal a propósito do segundo).

"Oppenheimer" e "Barbie" chegam aos cinemas ao mesmo tempo: Christopher Nolan diz que é "fantástico" para Hollywood
"Oppenheimer" e "Barbie" chegam aos cinemas ao mesmo tempo: Christopher Nolan diz que é "fantástico" para Hollywood
Ver artigo

Mas a história podia ter sido muito diferente, como se descobriu graças ao "Barbenheimer" organizado pela Variety para o seu tradicional segmento “Actors on Actors", que juntou os protagonistas do fenómeno.

No encontro, que segundo contou nas redes sociais Ramin Setoodeh, editor da revista, se proporcionou quando a equipa de Cillian Murphy pediu para fazer par com Margot Robbie (que rapidamente disse que sim"), a atriz contou que o produtor de "Oppenheimer" Charles Roven lhe telefonou a pedir para mudar a data de estreia de "Barbie".

A revelação surgiu quando o ator irlandês comentou que os filmes de Christopher Nolan, por sua superstição, estreiam sempre por volta de 21 de julho.

Margot Robbie, que também é uma das produtoras de "Barbie", recordou a chamada: "Ele estava do género 'Acho que vocês deviam mudar a vossa data'. E eu respondi 'Não vamos mudar a nossa data. Se estão assustados por irem contra nós, mudem vocês'. E ele disse 'Não vamos mudar a nossa data. Apenas acho que era melhor para vocês mudarem'. E eu 'Não vamos mudar'".

Note-se que todos se conhecem: Roven produziu a trilogia "O Cavaleiro das Trevas" para Nolan, onde Cillian Murphy também entrou, e trabalhou com a atriz em "O Esquadrão Suicida", de James Gunn, lançado em 2021.

O MOMENTO.

Durante a entrevista, Margot Robbie disse que tinha "90%" de certeza de que "Barbie" ia ser um grande sucesso... a percentagem que faltava ficou para a parte do medo de que tudo poderia "correr muito mal".

Sem prever o fenómeno “Barbenheimer”, a atriz diz que achava que os dois filmes seriam "um ótimo acasalamento" como lançamento simultâneo.

"Claramente, o mundo concordou. Graças a Deus. O facto de que as pessoas diziam, ‘Ah, vejam primeiro o ‘Oppenheimer’, depois o ‘Barbie’'. E eu disse 'Veem? As pessoas gostam de tudo’. As pessoas são estranhas”, contou a Cillian Murphy.

"E não gostam que lhes digam o que fazer. Elas decidirão e irão gerir diretamente o interesse”, respondeu o colega.

Com 1,44 mil milhões de dólares de receitas nas bilheteiras a nível mundial , "Barbie" tornou-se o maior sucesso comercial de 2023 e o mais rentável na história do estúdio Warner Bros. (sem incluir a inflação), enquanto "Oppenehimer", com 950, é o 'biopic' de maior sucesso. Ambos devem estar entre os principais nomeados aos Óscares.

TRAILER "BARBIE".

TRAILER "OPPENHEIMER".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.