O ator norte-americano Samuel L. Jackson, a comediante, cineasta, argumentista e atriz Elaine May, e a atriz e realizadora norueguesa (mas incontornavelmente ligada ao cinema sueco) Liv Ullmann vão receber Óscares honorários.

O ator Danny Glover, a estrela dos filmes "Arma Mortífera", receberá o prémio humanitário Jean Hersholt para distinguir o seu ativismo social.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou esta quinta-feira que os quatro atores serão os homenageados na 12.ª cerimónia dos Governors Awards, marcada para 15 de janeiro de 2022 em Los Angeles.

“Estamos entusiasmados por apresentar os Governors Awards deste ano a quatro homenageados que tiveram um impacto profundo no cinema e na sociedade”, destacou em comunicado David Rubin, o presidente da Academia.

"Sam Jackson é um ícone cultural cujo trabalho dinâmico ressoou em géneros, gerações e espectadores em todo o mundo, enquanto a abordagem ousada e intransigente de Elaine May para o cinema, como argumentista, realizadora e atroz, ressoa tão alto como sempre entre os amantes do cinema. A coragem e a transparência emocional de Liv Ullmann deram aos espectadores representações no ecrã profundamente comoventes, e o ativismo de décadas de Danny Glover pela justiça e pelos direitos humanos reflete a sua dedicação em reconhecer a nossa partilhada humanidade, dentro e fora do ecrã.", destaca o texto.

As escolhas foram feitas pelos 54 membros do Conselho de Governadores, que representa todos os ramos da Academia, num encontro especial na terça-feira à noite.

Estas decisões costumam ser tomadas no início de setembro, mas o calendário continua a ser afetado pelo impacto da pandemia, uma vez que a cerimónia dos Governor Awards tradicionalmente decorre em novembro. A próxima cerimónia dos Óscares está marcada para 27 de março de 2022.

No ano passado, a cerimónia foi cancelada, mas o Conselho de Governadores atribuiu dois prémios humanitários Jean Hersholt, a Tyler Perry e à organização Motion Picture & Television Fund (MPTF), que foram entregues durante a última cerimónia dos Óscares, que se realizou a 25 de abril na Union Station.

Os homenageados

Pulp Fiction

Samuel L. Jackson já terá 73 anos quando receber o Óscar honorário, depois de ter sido nomeado uma única vez para o prémio competitivo, como ator secundário por "Pulp Fiction", em 1994, como Jules Winnfield, o criminoso que queria ser melhor do que era na realidade e citava a Bíblia antes de despachar as suas vítimas.

O filme realizado por Quentin Tarantino lançou a sua carreira, embora já tivesse sido antes elogiado e notado graças a "School Daze" (1988), "Não Dês Bronca" (1989), "Quanto Mais Melhor" (1990) e "A Febre da Selva" (1991), todos de Spike Lee.

Além das colaborações regulares com Lee ("Oldboy: Velho Amigo", 2013; "Chi-Raq", 2015) e Tarantino ("Jackie Brown", 1997; "Kill Bill - A Vingança (vol. 2)", 2004; "Django Libertado", 2012; "Os Oito Odiados", 2015; e narrador em "Sacanas Sem Lei", 2009), Samuel L. Jackson entrou em mais 150 filmes de todos os géneros, estilos e... qualidade.

Além de "Não Dês Bronca" e "Jackie Brown", o próprio tem apontado como os trabalhos preferidos "A Profissional" (1996), "Tempo de Matar" (1996), "187 - Condenação à Morte" (1997) e "O Violino Vermelho" (1998).

Além de ter sido o Mestre Jedi Mace Windu na segunda trilogia "Star Wars" (1999–2005) e o Nick Fury no Universo Cinematográfico Marvel desde 2008, destacam-se também na carreira títulos como "Die Hard 3 - A Vingança" (1995), "Passado Sangrento" (1996), "Eve's Bayou" (1997), "O Negociador" (1998), "O Protegido" (2000), "Shaft" (2000), "Treinador Carter" (2005), "Serpentes a Bordo" (2006), "Black Snake Moan - A Redenção" (2006), "1408" (2007), "Kingsman: Serviços Secretos" (2014), "A Lenda de Tarzan" (2016), "Kong: Ilha da Caveira" (2017), "O Guarda-Costas e o Assassino" (2017) e "Glass" (2019). Foi também a voz de Frozone em "The Incredibles - Os Super Heróis" (2004) e na sequela (2018).

Elaine May

Menos mediática fora do seu país, Elaine May, com 89 anos, é uma "instituição" norte-americana, como comediante, realizadora, argumentista, dramaturga e ainda atriz.

Nomeada para Óscares competitivos pelos argumentos adaptados de "O Céu Pode Esperar" (1978) e "Escândalos do Candidato" (1998), a carreira começou na década de 1950, quando formou uma famosa e marcante dupla de comédia improvisada com o futuro realizador Mike Nichols, que durou quatro anos e influenciou gerações de talentos, incluindo Woody Allen, Lily Tomlin e Steve Martin.

No cinema, apareceu à frente das câmaras em "Livra-me desta mulher" (1967), "Um Apartamento na Califórnia" (1978) e "Vigaristas de Bairro" (2000), mas foram momentos altos três filmes realizados durante a década de 1970, "Vida Nova" (1971), em que também apareceu à frente das câmaras, "Casei-me por Engano" (1972), ambas comédias, e "Jogo Mortal" (1976), um "thriller" com John Cassavetes e Peter Falk.

Além de trabalhos não creditados nos argumentos de "Tootsie - Quando Ele Era Ela" (1982) e "Mentes Perigosas", adaptou "Casa de Doidas" (1996), reencontrando Mike Nichols como realizador, repetindo a colaboração com ""Escândalos do Candidato".

A carreira acabaria por ser marcada negativamente pelo seu último filme como cineasta, o desastre de bilheteira e crítico "Ishtar" (1987), com Warren Beatty, Dustin Hoffman e Isabelle Adjani.

Nos últimos Governors Awards antes da pandemia, Dakota Johnson anunciou que iria entrar num novo projeto de Elaine May como realizadora, "Crackpot".

Liv Ullmann

Norueguesa de nascimento, mas "cinematograficamente" sueca, Liv Ullmann permanece, aos 82 anos, uma das maiores atrizes de sempre do cinema europeu.

Além da relação pessoal durante alguns anos, de que resultou a sua única filha (a escritora e jornalista Linn Ullmann), a ligação profissional com o realizador Ingmar Bergman resultou em títulos incontornáveis da história do cinema como "A Máscara" (1966), "Lágrimas e Suspiros" (1972) e "Cenas da Vida Conjugal" (1974), além de "A Vergonha" (1968), "A Hora do Lobo" (1968), "A Paixão" (1969), "O Ovo da Serpente" (1977) e "Sonata de Outono" (1978), e os telefilmes "A Flauta Mágica" (1975) e "Saraband" (2003).

Em entrevistas, Liv Ullmann destacou a sua recusa em entrar em "Fanny e Alexandre", o último filme de Bergman para o cinema, como um dos poucos arrependimentos da carreira.

Ainda do mesmo realizador, foi nomeada para o Óscar de Melhor Atriz por "Face a Face" (1976), como já acontecera com "Os Emigrantes", de Jan Troell (1971): tanto entre atores como atrizes, foi a primeira a ser nomeada mais do que uma vez para as estatuetas por filmes em "língua estrangeira".

Fora do cinema de Bergman, outros títulos de destaque à frente das câmaras foram "The Abdication" (1974), "Jogadas Perigosas" (1984), "Gaby - Uma História Verdadeira" (1987), "La amiga" (1988), "The Rose Garden" (1989) e "Duas Vidas" (2012).

Liv Ullmann também é realizadora, tendo-se estreado nas longas-metragens com "Sofie" (1992), onde entrava o amigo e parceiro de vários filmes Erland Josephson.

Recebeu vários prémios com "Infidelidade" (2000), adaptando um argumento de Bergman, e o seu último trabalho para o cinema também foi atrás das câmaras, dirigindo Jessica Chastain, Colin Farrell e Samantha Morton em "Miss Julie" (2014).

Danny Glover

A festejar os 75 anos a 22 de julho, Danny Glover nunca foi nomeado para os Óscares e vai receber um prémio que não tem a ver com a sua carreira como ator, o Jean Hersholt, distinguindo o seu ativismo em várias causas humanitárias, embora mantenha também um conhecido envolvimento político, tanto nos EUA como a nível internacional, incluindo o apoio a Lula da Silva, Hugo Chávez e Nicolás Maduro.

O seu papel mais conhecido no cinema é o do eterno detetive da polícia à beira da reforma Roger Murtaugh, o parceiro do psicótico Martin Riggs (Mel Gibson) nos quatro filmes "Arma Mortífera" (1987-1998), com o quinto a caminho.

Além de outros títulos de ação, com destaque para "Predador 2" (1990) e "Intruder: Missão de Alto Risco" (1991), o seu lugar de destaque no cinema está assegurado ainda por filmes como "Um Lugar no Coração" (1984), "Silverado" (1985), "A Cor Púrpura" (1985), A Testemunha (1985), "O Fugitivo da Selva" (1988), "To Sleep with Anger" (1990), "Furacão em Harlem" (1991), O Santo de Forte Washington" (1993), "Anjos em Campo" (1994), "Beloved" (1998), "Os Tenenbaums - Uma Comédia Genial" (2001), "Saw - Enigma Mortal" (2004), "Manderlay" (2005), "Desaparecido na América" (2005), "Por Favor Rebobine" (2008), "Ensaio Sobre a Cegueira (2008), "2012" (2009), "O Cavalheiro com Arma" (2018) ou "The Last Black Man in San Francisco" (2019).

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.