Jeff Bridges conhece bem a fúria de um incêndio. Não apenas pelo seu papel em "Only the Brave", o seu filme mais recente, que em Portugal se vai chamar "Só para Bravos", sobre uma equipa de bombeiros florestais, mas porque já perdeu a sua casa para as chamas.

O filme conta a história de uma equipa enviada para combater o feroz incêndio que ameaçou, em 2013, a população de Yarnell, no Arizona.

A estreia nos cinemas americanos, esta sexta-feira (23 de novembro no nosso país), chega justamente num momento em que a Califórnia luta contra incêndios que já deixaram um balanço de 42 mortos, milhares de evacuados e uma destruição generalizada, com bairros inteiros reduzidos a cinzas na turística região do vinho, ao norte de San Francisco.

Em Portugal, o balanço dos incêndios também domina todas as atenções e tem repercussões políticas.

O vencedor de um Óscar, hoje com 67 anos, recordou numa entrevista à agência AFP como testemunhou a fúria do fogo no início dos anos 1990.

"Perdi minha casa num incêndio em Malibu, ela foi queimada. Estava a fazer um filme chamado 'Chuva de Fogo' e ouvi as notícias e... o fogo chegou a minha casa".

"E depois a minha esposa, Sue, evacuou a nossa casa em Santa Bárbara três vezes enquanto eu estava fora a fazer filmes, sozinha. É uma tarefa enorme, colocar tudo fora. Vivíamos ao lado de vegetação", acrescentou.

Jeff Bridges também perdeu 160 hectares do seu rancho em Montana num incêndio há cerca de cinco anos e já teve que ajudar um amigo a salvar a sua propriedade, armado com uma pá, num outro incêndio uma década antes.

"Com estas mudanças climáticas, as coisas estão cada vez mais secas. Vamos ter mais incêndios, acredito, e graças a Deus temos estes homens cujo trabalho e paixão é combatê-los", indicou.

Mestres Coen

"Só para Bravos" é baseado na história real de um grupo de 20 bombeiros de elite enviados para combater um dos maiores incêndios da história dos Estados Unidos. Só um deles sobreviveu.

Esta foi a maior perda de bombeiros americanos desde os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

"Mostramos quem são estes tipos que arriscam as suas vidas desta forma", explicou o ator, que surge ao lado de Josh Brolin, Jennifer Connelly e Miles Teller como o chefe de bombeiros Duane Steinbrink, um cowboy cuja dignidade não polida e sabedoria endurecida pelas batalhas o tornam um mentor para os seus colegas.

Bridges é uma das figuras mais reconhecidas e consistentes de Hollywood, parte de uma dinastia de atores que inclui os seus pais Dorothy e Lloyd e seu irmão Beau.

Acumula sete nomeações para os Óscares e uma estatueta de Melhor Ator por "Crazy Heart" (2009), no qual demostrou os seus talentos como músico ao interpretar um cantor de música country alcoólico que tenta voltar aos seus dias de glória.

Na sua longa carreira, interpretou de tudo, desde o sobrevivente de um acidente aéreo em "Sem Medo de Viver" ao icónico 'The Dude' na comédia de culto "O Grande Lebowski" dos irmãos Joel e Ethan Coen (1998).

Bridges foi questionado em inúmeras entrevistas se estaria interessado em fazer uma sequela desse filme. A sua resposta em geral é um sorriso indulgente e um gesto de entusiasmo.

Os Coen já disseram que não farão um segundo filme, mas em agosto foi anunciado que deram a sua benção a um 'spin-off' centrado no jogador de bowling Jesús Quintana, interpretado por John Turturro.

"Se os irmãos me convidarem, eu vou", assegurou Bridges. "Estou tão orgulhoso desse filme, de ter feito parte dele. Esses tipos, os irmãos Coen, são uns mestres. Eles fazem tudo parecer fácil".

Trailer.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.