Em causa estarão, possivelmente, as afirmações proferidas por Osbourne aquando das gravações de “13”, o mais recente álbum de estúdio do grupo, que revelou que Ward estava em baixo de forma e "não sabia o que estava a fazer" - incapaz, portanto, de contribuir para a criação do disco e respetivos concertos de apresentação. Na altura, foi também referido que a banda não tinha conseguido chegar a um acordo financeiro com o baterista.

Num comunicado publicado no seu site oficial, Bill Ward, que irá lançar brevemente um novo álbum da Bill Ward Band, “Accountable Beasts”, escreveu: “Eu não cortei nem interrompi a minha relação com os Black Sabbath, contudo, desde 2012, as declarações frequentemente imprecisas sobre mim como pessoa ou como músico levaram-me a proteger e a desligar-me emocional e espiritualmente do Ozzy. A informação continuamente errada sobre mim estabeleceu uma necessidade, da minha parte, em confrontar esses problemas. E agora, com a edição iminente de um novo álbum da Bill Ward Band e com a onda de rumores sobre os novos projetos dos Sabbath, achei apropriado falar de uma forma verdadeira e não cínica”.

O baterista continuou: “Com o coração triste, tenho que dizer que não participarei em qualquer compromisso musical até haver uma correção dos erros ditos sobre mim. Tenho que admitir, não tenho quaisquer expetativas que isso aconteça, mas, antes de mais, espero um assumir de responsabilidade por todas as declarações do Ozzy que senti serem falsas. Gostaria que o Ozzy emendasse as suas opiniões e exageros. Gostaria que ele fosse claro sobre os seus pontos de vista irrealistas. E porque fui humilhado publicamente, gostaria que ele corrigisse publicamente, nas suas palavras e não através de um representante seu, a natureza dos seus erros. Não gostaria de continuar com ele sem este dilema, aparentemente impossível, ser abordado. Não acho que uma relação previamente forte se possa manter depois de uma disputa, apenas a varrer-se o material ofensivo para debaixo do tapete ou com um pedido de desculpa insignificante, ou com algo do género 'oh, isso já passou'. Comigo, não funciona assim. Correção dos erros, é só isso que quero de forma a ser, novamente, seu amigo”.

Bill Ward referiu também querer um “contrato assinável” antes de voltar a tocar com os Black Sabbath: “Quero um contrato que possa aprovar. Essa é a minha posição. Não tenho ouvido nada a não ser insultos e falsas declarações e, se como banda ou indivíduos eles desejam continuar na mesma linha, então qualquer perspetiva de reunião do alinhamento original dos Black Sabbath continuará a desaparecer”.

“Basicamente, só depende deles. Eu sinto falta de tocar com eles, enquanto pessoas, e fiquei de coração partido ao perder quem eu pensava que eles eram”, concluiu.

Leia as declarações completas de Bill Ward, aqui.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.