“É com muita tristeza que nós, a família de Jack, anunciamos a morte do nosso bem amado Jack: o marido, o pai, o avô e a lenda”, escreveram os familiares na página de internet do músico.

Claire Singers, a responsável pelas relações públicas, confirmou a morte, acrescentando que o músico morreu na sua casa de Suffolk. Jack Bruce tinha sido submetido a um transplante de fígado em 2003.

Os Cream venderam 35 milhões de álbuns em pouco mais de dois anos, tendo o seu 33 rotações “Wheels on Fire” sido o primeiro álbum a receber um disco de platina.

Jack Bruce escreveu e cantou a maioria das canções, nomeadamente "I Feel Free", "White Room", "Politician" e "Sunshine of Your Love", que contém um dos ‘riffs’ de guitarra mais tocados no mundo.

O grupo - que escolheu este nome porque era considerado a "nata" dos músicos de rock da época - lançou apenas três álbuns de estúdio durante sua breve carreira, que terminou com acrimónia em novembro de 1968, sob um pano de fundo de álcool e drogas.

Jack Bruce considerou, na altura, que se tinha afastado dos seus ideais e queria redescobrir as suas raízes musicais.

Em maio de 2005, a banda voltou aos palcos, em Londres, para quatro concertos no Royal Albert Hall perante uma plateia entusiasmada.

No seu apogeu, os Cream eram famosos pelos longos improvisos que Clapton, nos anos 2000, atribuiu às drogas que os músicos consumiam em grandes quantidades: às vezes, o trio esquecia a música que estava a tocar e improvisava até a memória voltar.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.