O autor de Gravity e Your Body Is a Wonderland estreia-se nos palcos portugueses com o seu novo álbum na bagagem, o muito aclamado “Battle Studies”, lançado em Novembro de 2009.

Responsável pela venda de mais de 280 mil cópias na semana em que foi lançado nos Estados Unidos, e com entrada directa para o primeiro lugar do TOP Billboard 200, “Battle Studies” é o quarto registo discográfico de Mayer e apresenta uma faceta mais intimista do músico e compositor.

Já os Xutos & Pontapés – totalistas no evento – vão revisitar em palco 30 anos de sucessos discográficos, cedendo assim à vontade do público, que os colocou entre as bandas mais desejadas para integrar o cartaz da edição de 2010.

Estes artistas, cuja data de actuação ainda não foi avançada pela organização do Rock in Rio, juntam-se assim, aos já confirmados Muse, Shakira, Ivete Sangalo e Mariza (no Palco Mundo do evento) e Jorge Palma, Zeca Baleiro, Luís Represas e Martinho da Vila (no Palco Sunset).

O Rock in Rio Lisboa 2010 decorre, como vem sendo habitual, no Parque da Bela Vista, em Lisboa, nos dias 21, 22, 27, 28 e 29 de Maio.

Os bilhetes diários para o festival custam €58.

Sobre John Mayer

John Mayer nasceu no estado do Connecticut, Estados Unidos da América, e cedo desenvolveu o interesse pela música. Com apenas 13 anos, descobriu o blues - estilo que vem acompanhando toda a sua carreira. Aos 15 anos, começa a tocar em bares de blues, mas só começa a ser conhecido quando se muda para Atlanta e entra no circuito de bares local.

O primeiro trabalho que editou foi em 1999, o EP “Inside Wants Out”, seguido de “Room for Squares”, em 2001, que alcançou a tripla platina nos Estados Unidos da América. Em 2003, edita o primeiro álbum ao vivo, “Any Given Thursday”, com o qual alcança o disco de platina e, nos Boston Music Awards, vence o prémio de “Act of the Year”.

Ainda em 2003, Mayer edita “Heavier Things”, entra directamente no TOP Americano no dia do lançamento e, em 2005, recebe o Grammy com o tema Daughters como “Best Male Vocal Performance”.

Durante a gravação de “Continuum”, que foi editado em 2006, o cantor teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes como Eric Clapton, Buddy Guy, John Scofield e BB King. Pensou-se que, após estes trabalhos, John Mayer fosse abandonar um pouco as suas influencias pop, contudo, manteve as suas convicções e criou um álbum original onde todas as suas influências estão presentes.

Sara Novais

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.