O músico, autor de canções como “Bairro do amor”, “Encosta-te a mim” e “Frágil”, atua acompanhado por Vicente Palma, a garantir a guitarra, o piano e voz, e Gabriel Gomes, ex-Madredeus e ex-Sétima Legião, no acordeão.

Compositor, poeta, intérprete e pianista, Jorge Palma começou nas lides musicais aos 13 anos, quando ficou em 2.º lugar no Concurso Internacional das Juventudes Musicais, realizado em Palma de Maiorca, do qual trouxe também uma Menção Honrosa do júri.

O curso superior de piano, entretanto interrompido, terminou-o em 1990. Ao longo da carreira, o músico editou dezenas de álbuns em nome próprio, e participou noutros, construíndo uma carreira reconhecida com vários discos de ouro, e uma dupla platina, com o álbum "Voo Nocturno".

Venceu o Prémio José Afonso por duas vezes, em 2002 e em 2008, o Globo de Ouro Caras/SIC em 2012, na categoria de Melhor Intérprete.

O mais recente álbum, "Com Todo o Respeito", foi galardoado pela SPA com o Prémio Pedro Osório, há dois anos.

Em comunicado, a sala de Guimarães afirma que será um concerto de 90 minutos, durante o qual Jorge Palma “viaja pelos seus temas intemporais criados ao longo de mais de 40 anos de carreira, umas vezes sussurrados ao piano, outras em plenos pulmões à guitarra, mas sempre com o excêntrico génio que se lhe reconhece”.

A estreia a solo de Jorge Palma deu-se em 1972, com o single “The Nine Billion Names of God”, num período em que trabalhou com o poeta José Carlos Ary dos Santos, falecido há 30 anos. Deste contacto resultou o EP “A Última Canção” (1973), com quatro composições de Jorge Palma, duas delas com letras de Ary.

Em 1973, recusou-se a cumprir o serviço militar obrigatório, que certamente o levaria a combater nos antigos territórios sob administração portuguesa, e conseguiu asilo político na Dinamarca, de onde regressou em 1974.

Desde esta data, até 1977, foi orquestrador de vários cantores, de Francisco Naia a Adelaide Ferreira, passando por Francisco Ceia, Paco Bandeira, Tonicha e Rui de Mascarenhas, entre outros.

Em 1975, com Fernando Girão, concorreu ao Festival RTP da Canção com "O Pecado Capital", uma composição em coautoria com Pedro Osório, e ainda com "Viagem", uma letra sua e música de Nuno Nazareth Fernandes.

Foi nesse ano que saiu o seu primeiro álbum, ”Com uma Viagem na Palma da Mão”, seguindo depois em digressão com Paco Bandeira pelo Brasil.

Jorge Palma iniciou assim uma carreira marcada com êxitos como “Deixa-me rir”, “A gente vai continuar”, “Estrela do mar”, “Cara de anjo mau”, “Bairro do amor”, “Canção do amor”, “Jeremias, o fora da lei”, “Com todo o respeito”, “Os olhos de Catarina” ou “Soltos do chão”.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.