O novo grupo, que inclui ainda um antigo membro de Capitão Fantasma e outro de Riding Pânico, vai atuar no Porto no âmbito do NOS Club, dias antes de o álbum ficar disponível para transferência gratuita em www.nosdiscos.pt.

O vocalista Afonso Rodrigues explicou à Lusa que a banda surgiu da junção de se tratar de um grupo de amigos que faz música, o que levou a que um dia o baixista Bráulio Alexandre lançasse a pergunta sobre o porquê de não se reunirem na sala de ensaios: “Somos amigos e fazemos música, como é que ainda não estamos a fazer música juntos? Como é que ainda ninguém se lembrou disso?”

Depois de um período inicial em que os encontros eram espaçados, os Keep Razors Sharp começaram a ensaiar de forma mais regular, diz Afonso Rodrigues, a que se seguiu a primeira sessão de estúdio, da qual resultaram os primeiros singles.

“Daí para cá, as coisas têm sido mais regulares, tocamos mais ao vivo, acabámos o álbum no final de agosto que vai sair agora no mês de outubro”, acrescentou o também vocalista dos Sean Riley & The Slowriders.

Afonso Rodrigues descarta qualquer tipo de “pressão” sobre os restantes projetos que os quatro membros da banda têm, acima de tudo, por se tratar de “bandas de amigos”, o que “facilita muito as coisas”.

“O que estamos a fazer não tem nada a ver com nenhuma dessas bandas. Acho que quem ouviu os dois ‘singles’ que lançámos até agora tem já uma boa noção do universo no qual a nossa música se enquadra”, realçou o artista.

O NOS Club vai decorrer no sábado, na Casa da Música, contando com um cartaz que inclui o brasileiro ex-Los Hermanos Rodrigo Amarante, Holy Fuck, os portugueses Linda Martini, Paus, Duquesa, para além de Ghuna X, entre outros.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.