O maestro japonês Seiji Ozawa, que conduziu as orquestras de maior prestígio do mundo durante sua longa carreira, faleceu na sua casa de Tóquio aos 88 anos, informou a imprensa nipónica.

O canal de televisão público NHK e outros meios de comunicação japoneses informaram que Ozawa morreu no dia 6 de fevereiro, vítima de insuficiência cardíaca.

O funeral teve caráter privado, apenas com familiares próximos, informou o jornal Asahi Shimbun.

Seiji Ozawa nasceu em 1935 na província chinesa da Manchúria, então uma colónia japonesa, e começou a estudar piano no ensino básico.

Depois de partir dois dedos a jogar râguebi, outra das suas paixões, quando era adolescente, acabou por optar pela regência de orquestra.

Em 1959, mudou-se para o exterior e conheceu algumas das maiores estrelas do mundo da música clássica, incluindo o compositor e diretor Leonard Bernstein, de quem foi assistente na Filarmónica de Nova Iorque durante a temporada 1961-1962.

Ozawa regeu orquestras em Chicago e San Francisco, nos EUA, e em Toronto, no Canadá. Também trabalhou durante 29 anos como diretor musical da Orquestra Sinfónica de Boston, onde um auditório tem o seu nome.

Em 2002, tornou-se maestro titular da Ópera de Viena, na Áustria, cargo que ocupou até 2010.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.