Neste concerto, de acordo com o comunicado enviado pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), alguns dos músicos que integraram a Orquestra e estão hoje já reformados, "são convidados a juntar-se à festa, tocando uma das peças programadas - a 5ª Sinfonia de Beethoven".

A FCG quer salientar o laço de família que a une aos seus músicos e "os mais novos, filhos de músicos da Orquestra" sobem também ao palco, durante a tarde, para interpretarem a "Sinfonia dos Brinquedos", de Joseph Haydn, sob a direção de Joana Carneiro.

O programa celebrativo inclui exposições, "workshops", filmes e sete horas de música, que começam às 15:00 e "percorre vários repertórios, incluindo a peça que a Orquestra Gulbenkian, composta na altura por doze elementos, tocou no Teatro Nacional Dª Maria II no dia da sua primeira aparição pública, a 22 de outubro de 1962, 'Dança Sagrada e Dança Profana', de Claude Debussy". Esta peça será tocada no Grande Auditório, pelas 18:00, pelos solistas da Orquestra.

No átrio da FCG, junto à praça de Espanha, em Lisboa, abre uma exposição que estará patente até "meados de outubro". "A exposição vai incidir sobre alguns dos momentos mais importantes da vida do agrupamento, incluindo gravações e fotografias de arquivo de momentos marcantes, como o concerto inaugural ou os concertos históricos com intérpretes, como [os violoncelistas] Pierre Fournier (1964) ou Mstislav Rostropovich (1969), entre muitos outros", refere o mesmo comunicado.

"A exposição dará ainda a ver (e a ouvir) algumas das obras encomendadas pela Fundação a diferentes compositores e que foram tocadas em estreia mundial pela Orquestra, assim como as digressões internacionais e as edições discográficas realizadas ao longo deste período", acrescenta a FCG.

Às 15:00, Joana Carneiro dirige a Orquestra Gulbenkian para interpretar, com narração da locutora Catarina Furtado, "Pedro e o Lobo", de Sergei Prokofiev, além da Sinfonia em Dó maior, Hob.11:47, de Haydn.

Os músicos, que estarão também no átrio para conversar com o público, entre as 16:00 e as 19:00, interpretam no Grande Auditório obras de vários compositores.

"As famílias com crianças dos seis aos 12 anos são convidadas a constituir uma orquestra, passando pelas várias etapas de um miniensaio, numa oficina dirigida por Carlos Pereira", adianta a Fundação.

No Auditório 3 da FCG serão exibidos em contínuo os filmes "Ensaio de Orquestra", de Federico Fellini, "Uma noite na Ópera", de Sam Wood, com os irmãos Marx, e "O Concerto", de Radu Mihaileanu, entre outros.

Às 20:00 inicia-se o concerto pela Orquestra sob a batuta de Pedro Neves, cujo programa é constituído pela 5ª Sinfonia de Beethoven, "Rapsody in Blue", de George Gershwin, sendo solista Mário Laginha, em piano, e "Round Time", de Luís Tinoco.

Criada como Orquestra de Câmara Gulbenkian, o agrupamento instrumental foi evoluindo para a formação dos atuais 66 músicos efetivos, podendo esta formação ser alargada por exigência do repertório.

A Orquestra Gulbenkian, assim denominada desde 1971, tem apresentado um repertório alargado, do barroco à literatura orquestral do século XIX, música do século XX e peças de compositores da atualidade.

Este ano, a orquestra vai fazer uma digressão pelo Brasil, sucedendo-se ao ano passado, quando integrou o cartaz do Festival Enescu e atuou pela primeira vez na Arménia, país de onde é originário Calouste Gulbenkian.

Para o próximo ano, sob a batuta de Lawrence Foster, o maestro titular, a Orquestra Gulbenkian fará digressões na Áustria, em março, Alemanha, em julho, e na China, em outubro.

A Orquestra tem edições regulares em várias editoras discográficas, tendo realizado este ano a primeira gravação mundial do Requiem de Antonio Salieri e editado obras de Ligeti, Kodály e Bartók, assim como uma nova colaboração com a pianista Sa Chen.

Em 2011, dirigida por Joana Carneiro, gravou um disco destinado ao público juvenil, com "Pedro e o Lobo", de Prokofiev, "O Carnaval dos Animais", de Saint-Saëns, e o "Guia da Orquestra para Jovens", de Benjamin Britten.

De acordo com a FCG, "está em preparação a edição de três discos protagonizando solistas da Orquestra Gulbenkian, sob a direção de Lawrence Foster, Joana Carneiro e Pedro Neves, os quais farão parte das iniciativas do 50º aniversário".

@SAPO/Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.