A informação não é, contudo, confirmada pelo porta-voz do grupo, que assegura a continuidade do projecto. “As Pussycat Dolls ainda estão juntas e até preparam novos temas”, assegurou ao jornal britânico "Daily Mirror".

Note-se que a ruptura entre os membros da banda já vinha sendo comentada nos últimos meses, face às demonstrações óbvias de desagrado da mesma, perante o constante protagonismo de Nicole Scherzinger, e as suas claras demonstrações de vontade em seguir uma carreira a solo (Nicole já possui, inclusive, participações em temas exteriores ao grupo que a lançou para a ribalta).

Antes de Ashley, Melody Thornton já teria declarado, através do seu twitter, a inevitabilidade do fim do projecto. Também ela, num concerto de Britney Spears em Glendale, EUA – no qual as Pussycat Dolls foram fizeram a primeira parte – afirmou o seu descontentamento com os créditos dos últimos singles da banda - a saber, Jai Ho (You Are My Destiny) e Hush Hush, Hush Hush – atribuídos a “The Pussycat Dolls featuring Nicola Scherzinger”, numa clara aposta da editora Interscope em destacar a cantora mais mediática do grupo. “Muito obrigada por me apoiarem, mesmo não sendo eu «featured». Não desistam dos vossos sonhos e não deixem ninguém espezinhar-vos”, terá dito numa pausa entre músicas.

Surgidas em 2003 – numa altura em que as girls band já não apresentavam o peso comercial da década de 90 -, as Pussycat Dolls contam com dois discos editados: “PCD”, DE 2005; e “Doll Domination”, de 2008. Don’t Cha, When I Grow Up e Buttons são alguns dos seus maiores êxitos.

Sara Novais

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.