“Eu estava muito, muito nervosa antes de subir para o palco, e sei que o Tatanca também”, confessou Aurea em entrevista ao SAPO, cerca de uma hora depois de ter protagonizado a abertura do Palco Sunset no Rock in Rio, ao lado dos The Black Mamba.

O nervosismo foi porém ultrapassado graças não só ao apoio dos músicos com quem Aurea partilhou o palco, mas também graças à recepção do público brasileiros, que foi muito calorosa. “Subir ao palco e ver aquelas pessoas tão simpáticas a participarem no concerto vale tudo, saímos do palco com o coração cheio”, diz a cantora portuguesa.

O Palco Sunset é um lugar único no Rock in Rio, já que na sua génese estão as parceria entre músicos. Para Aurea, construir um concerto “de raiz” com os The Black Mamba “foi fácil, muito fluido”. No entanto, a cantora assume que partilha de palco em muito contribuiu para a consolidação do seu trabalho. “Eu tenho muita coisa por aprender e eles (The Black Mamba) ensinaram-me coisas novas e eu agradeço-lhes muito”.

Aurea, que diz ter-se sentido “em casa”, acrescentou ainda que é um orgulho partilhar o palco com nomes como Ivan Lins, que muito admira. Quando o assunto é internacionalização, apesar de afirmar que todo o seu percurso está a ser feito com grande ponderação, Aurea abriu a porta a novos trabalhos que divulguem a sua música no Brasil. “Todas as oportunidades que surgirem cá é óbvio que vamos segurar com todas as forças. Eu estou muito entusiasmada e tenho muita vontade de dar a conhecer a minha música aqui”.

Ao Palco Sunset ainda vão subir, no próximo e último fim de semana de Rock in Rio, os The Gift. Na Eletrónica, cujo palco é, este ano, uma aranha gigante, vai tocar o português DJ Ride.

Inês F. Alves

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.