Charraz será acompanhado por Luís Pinto no baixo, Miguel Veras nas guitarras, Paulo Loureiro nas teclas e João Balão nas percussões.

Em declarações à Lusa, Rogério Charraz afirmou que o álbum será a base do alinhamento do espetáculo no Estoril, o qual é constituído por “canções políticas, sem intenção política”.

“A minha intenção não é fazer política com a música, mas não nos podemos alhear da política porque tudo é política, mesmo que não estejamos dentro do jogo político”, declarou Charraz para esclarecer em seguida: “A minha música tem um olhar atento sobre a atualidade, mas não é política”.

“Não se pode falar só do lado risonho da vida, do amor, da amizade e das relações humanas; nas canções temos também de falar das questões sociais, daquilo que são os nossos problemas, daquilo que nos atormenta - as dificuldades que enfrentamos e que são de agora já de há dois ou três anos a esta parte”, defendeu.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.