O grupo atuará a 10 de maio, na Culturgest, em Lisboa, e no dia 23 desse mês, no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

Em palco estarão os músicos fundadores daquele grupo: Tomás Pimentel, Edgar Caramelo, Mário Laginha e os irmãos Pedro Barreiros e Mário Barreiros. O saxofonista Jorge Reis, falecido em outubro, será substituído por Ricardo Toscano.

Considerado um dos grupos históricos do jazz português, o Sexteto de Jazz de Lisboa foi fundado no começo dos anos 1980, na altura por um grupo de jovens músicos.

Em 1987 gravaram o álbum "Ao encontro", editado no ano seguinte pela Polygram. Depois disso, os músicos seguiram caminhos paralelos dentro e fora do jazz.

Os dois concertos foram revelados hoje pela Culturgest, no âmbito da programação de abril a agosto.

O sexteto - "um dos primeiros notáveis grupos de jazz profissionais 'a tempo inteiro'" - foi desafiado a reunir-se pelos divulgadores de jazz António Curvelo e Manuel Jorge Veloso, no âmbito do ciclo "Histórias de Jazz em Portugal", que decorre mensalmente entre Lisboa e Guimarães.

Além de recuperarem aquele álbum, os músicos deverão apresentar, nos dois concertos, em maio, "novas composições e arranjos".

Os cinco músicos fundadores decidiram manter o reencontro em palco, apesar da morte de Jorge Reis, transformando os concertos numa homenagem ao saxofonista.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.