A sessão do filme mudo contará com a participação da Orquestra Sinfónica Portuguesa, sob direção da maestrina Gillian Anderson, que interpretará a partitura original de Joseph Carl Breil, compositor que escreveu a música para a longa-metragem.

A Cinemateca Portuguesa tem estado a exibir, desde janeiro, alguns filmes de David Wark Griffith, a propósito do centenário de "O nascimento de uma nação", considerado um "dos primeiros grandes acontecimentos cinematográficos de sempre", embora não isento de polémica.

"O Nascimento de uma Nação" (1915) é um filme épico, que retrata duas famílias durante a após a guerra civil norte-americana, mas que faz a apologia do racismo, glorifica o Ku Klux Klan e menospreza os afro-americanos. À época, o filme teve sucesso comercial e foi considerado inovador do ponto de vista formal, mas Griffith não se livrou de críticas, por propagandear o racismo.

No ano seguinte, em 1916, Griffith estreou "Intolerância", interpretado como uma resposta às críticas sobre "O nascimento de uma nação".

Ainda antes da sessão no Teatro Nacional de São Carlos, a Cinemateca exibirá na quinta-feira "Abraham Lincoln" (1930) e "The Struggle" (1931).

A Cinemateca já tinha dedicado dois ciclos a Griffith, em 1980 e 2004.

David Wark Griffith nasceu em 1875 e faleceu em Hollywood (Califórnia), em 1948. Testemunhando a passagem do cinema mudo para o sonoro, foi precursor no modo de filmar, pela complexidade de planos e narrativas, e na forma como utilizou o cinema para abordar as mudanças sociais nos Estados Unidos, no início do século XX.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.