Numa entrevista à Asssociated Press, Casey Affleck pediu desculpa pelo comportamentos incorretos que ocorreram durante a rodagem do "documentário falso" que fez com Joaquin Phoenix "I’m Still Here".

Duas mulheres envolvidas na produção avançaram com acusações de assédio sexual contra ele, tendo sido fechado um acordo confidencial fora dos tribunais em 2010.

Essa controvéria regressou quando estava em campanha para os Óscares por "Manchester by the Sea" em 2016, prémio que acabou por ganhar, e ainda mais com os movimentos #MeToo e Time´s Up, levando-o a desistir de apresentar o Óscar de Melhor Atriz na cerimónia deste ano.

A entrevista é a primeira em que aborda de forma mais clara o que aconteceu à luz das mudanças em Hollywood relacionadas com esse movimento, admitindo que contribuiu para um comportamento pouco profissional durante a rodagem do seu filme em 2008 e 2009.

I'm Still Here (2010)

"Primeiro que tudo, ter estado envolvido num conflito que resultou num processo judicial é algo de que realmente me arrependo. Gostaria de ter encontrado uma forma de resolver as coisas de forma diferente. Detesto isso. Nunca tinha tido quaisquer queixas desse género sobre mim antes na vida e foi realmente embaraçoso e não sabia como tratar delas", explicou o ator.

"E não concordei com tudo, com a forma como estava ser descrito e as coisas que foram ditas sobre mim, mas queria tentar tomar a decisão correta. Portanto, agimos como devia ser numa forma que nos foi pedida naquela altura. E todos concordámos em tentar colocar isto para trás das costas e continuar com as nossas vidas, algo que acho que merecemos fazer, e quero respeitá-las como elas me respeitaram e a minha privacidade", continuou.

Apesar do acordo de confidencialidade o impedir de revelar pormenores concretos, Casey Affleck fala pela primeira vez do ambiente da rodagem de "I’m Still Here" e das suas consequências.

"Era um documentário falso maluco, um filme muito pouco convencional. O elenco era a equipa técnica e a equipa técnica era de certa forma o elenco e foi um ambiente pouco profissional e, na verdade, a responsabilidade tinha de acabar em mim por ser um dos produtores e tenho de aceitar a responsabilidade por isso e foi um erro. E eu contribuí para esse ambiente pouco profissional e tolerei esse tipo de comportamento de outras pessoas e desejava não o ter feito. E arrependo-me de muito disso. Realmente não sabia pelo que era responsável enquanto patrão. Nem sei se pensava em mim mesmo como o patrão. Mas portei-me de uma forma e permite que outros se portassem de uma forma que foi realmente nada profissional. E peço desculpa", assumiu.

Casey Affleck reconheceu ainda que o debate cultural que surgiu nos últimos dois anos o fez passar de uma posição defensiva para "um ponto de vista mais maduro, tentando encontrar a minha própria culpabilidade. E quando o fiz, descobri que havia muito para aprender".

Sobre a decisão de abdicar de ser apresentador na cerimónia dos Óscares deste ano, o ator disse que "acho que foi a atitude certa dado o que estava a acontecer na nossa cultura naquela altura. E ter duas mulheres incríveis a apresentar o prémio de melhor atriz [Jodie Foster e Jennifer Lawrence] pareceu ser o ideal".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.