O tema clássico, composto por Harrison em 1969 para o álbum "Abbey Road" dos Beatles, estava na lista de reprodução no Quicken Loans Arena, de Cleveland, durante o evento em que o Partido Republicano nomeou o magnata como o seu candidato à presidência.

Ter tocado a música na convenção "é ofensivo e vai contra os desejos dos administradores do legado de George Harrison", escreveram no Twitter na passada quinta-feira.

"Se fosse 'Beware of Darkness', poderíamos ter concordado", acrescentaram.

Os administradores do legado de Harrison referiam-se a outra composição do artista, de 1970, em que, influenciado pelo hinduísmo, advertia contra o apego material: "Beware of greedy leaders / They take you where you should not go".

Trump, que ganhou adeptos na sua aspiração presidencial após denúncias contra os imigrantes, tem sofrido repetidos protestos de artistas que não concordam com a reprodução de suas canções nos comícios.

Os Rolling Stones, Adele, Neil Young, R.E.M., Aerosmith e Queen são alguns dos que apresentaram objeções.

A família de Luciano Pavarotti, criticou Trump na quinta-feira por tocar "Nessun Dorma", a famosa ária da ópera "Turandot", de Puccini.

A família do cantor italiano disse que este defendia "os valores de irmandade e solidariedade", que são "totalmente incompatíveis com a visão de mundo expressada pelo candidato Donald Trump".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.