“Once Upon A Time In Shaolin” é uma compilação, de exemplar único, de inéditos dos Wu-Tang Can que, segundo o NME, foi vendido por milhões de dólares a um licitador anónimo.

O duplo álbum contém 31 canções nunca antes ouvidas e o comprador comprometeu-se a não lançar este disco para consumo público nos próximos 88 anos.

Este projeto tem causado alguma polémica mesmo no seio do grupo de hip hop. RZA, produtor e membro dos Wu-tang Clan, é a favor da ideia e disse que é como ter um Picasso: “Não quer dizer que possas vender cópias ou reproduzi-lo, mas que és o único proprietário de um original. E é isso que acontece com “Once Upon A Time In Shaolin””.

No entanto, Method Man e Raekown consideram que a ideia é “estúpida”. Segundo Raekwon, 88 anos é muito tempo. "É muito tempo para que o resto das pessoas o possa ouvir. Isso significa que nós não vamos estar cá [vivos]”, contou o rapper ao NME.

“Once Upon A Time In Shaolin” foi produzido, quase na sua totalidade, por Cilvaringz e a sua caixa é artesanal, em prata e níquel, feita pelo artista britânico-marroquino Yahya.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.