O filme “O Fio do Horizonte” (1992), de Fernando Lopes, é baseado no romance homónimo do escritor italiano, e após a sua projeção segue-se um debate que conta com a participação dos investigadores Luigi Surdich e Roberto Francavilla, da mesma universidade.

A homenagem ao escritor natural de Pisa acontece na semana em que em Portugal é pela primeira vez editado, numa tradução de Idalette Caçoilo, o seu romance de estreia, "Praça Itália", com a chancela das Publicações D. Quixote.

"Este é o primeiro livro de Antonio Tabucchi, mas estão já nele todos os elementos das suas obras mais maduras, desde 'O Jogo do Reverso' a 'Afirma Pereira': o duplo, o gosto pelos equívocos, o fascínio épico, a tensão moral", disse à agência Lusa fonte editorial.

"Nestas páginas, o autor recria com humor e uma subtil melancolia um mundo campesino, arcaico, hoje desaparecido, e reconstrói com fantasiosas invenções uma anti-história da Itália do lado dos vencidos, uma fábula popular impregnada do sentido secreto, mas não obscuro, da fragilidade da vida", rematou a mesma fonte.

Hoje, ainda em Génova, após o debate são apresentadas as obras “Antonio Tabucchi contista: Entre a incerteza do sentido e os equívocos da experiência”, da investigadora brasileira Erica Salatini, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, e “Rua da Saudade 22 – Entrevistas para Antonio Tabucchi”, de Riccardo Greco e Diego Perucci, uma recolha de entrevistas feitas a amigos e colegas de Tabucchi, depois da sua morte.

Para “ilustrar esta série de amigáveis e tocantes testemunhos, será apresentado o documentário homónimo realizado por um grupo de jovens artistas e cineastas de Siena [no centro de Itália], Diego Perucci, Matteo Garzi e Samuele Mancini, que respondem conjuntamente ao nome de Doutor Cardoso”.

Tabucchi editou em 1973 o seu primeiro romance, "Praça Itália" e, em 2013, a título póstumo, foi publicado em Itália o romance “Para Isabel", editado em Portugal em 2014.

Segundo dados da editora portuguesa, Tabucchi foi autor de 30 títulos, entre romances, contos, ensaios e peças de teatro, que foram traduzidos e admirados em muitas línguas, alguns deles adaptados ao palco ou ao grande ecrã, como aconteceu com “Noturno Indiano”, pelo qual recebeu em 1987 o Prémio Médicis para o melhor livro estrangeiro, “Pequenos Equívocos sem Importância”, “Requiem”, escrito diretamente em português, “Afirma Pereira” e “Tristano Morre”, que a revista Lire distinguiu em 2004 como “o melhor livro do ano”.

Antonio Tabucchi morreu aos 68 anos, em Lisboa, no dia 25 de março de 2012.

Newsletter

Os melhores filmes, as séries mais populares e a música que tem mesmo de ouvir. Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.