"Everything Now", o quinto disco dos Arcade Fire, foi considerado o Melhor Álbum do Ano na mais recente edição dos Juno Awards, cuja cerimónia decorreu na Rogers Arena, em Vancouver, no passado fim de semana.

A banda derrotou nomes como Michael Bublé ou Shania Twain e foi uma das vencedoras de uma noite que também distinguiu artistas como Kendrick Lamar (autor de "DAMN.", Álbum Internacional do Ano) ou Shawn Mendes (por "There's Nothing Holdin' me Back", Single do Ano, juntamente com o Fan Choice Award).

Além do prémio mais disputado, os Arcade Fire ganharam o troféu de Proeza Internacional pelo seu "sucesso exemplar a nível global".

Os Alvvays venceram na categoria de Álbum Alternativo do Ano ("Antisocialites"), Grimes na de Vídeo do Ano ("Venus Fly"), Diana Krall na de Álbum Jazz Vocal do Ano ("Turn Up The Quiet") e Michael Bublé na de Álbum Contemporâneo do Ano ("Nothing But Me").

Gord Downie foi considerado o Artista do Ano, A Tribe Called Red venceram na categoria de Grupo do Ano e Jessie Reyez​ foi a Artista Revelação. The Glorious Sons e Lights levaram para casa o prémio de Álbum Pop ("Skin & Earth") e Álbum Rock ("Young Beauties and Fools"), respetivamente.

Os Arcade Fire regressam a palcos portugueses este ano, com concertos no Campo Pequeno, em Lisboa, a 23 de abril, e no festival Vodafone Paredes de Coura, a 18 de agosto.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.