A polícia francesa montou um esquema especial de segurança, devido a um "contexto simbolicamente forte". O anúncio foi feito esta terça-feira, horas antes de um polícia ter sido atacado por um homem que havia jurado lealdade ao Estado Islâmico (EI), junto da catedral de Notre Dame, em Paris.

Durante esta quarta-feira, o trânsito foi cortado nas ruas junto à sala de espetáculos de Bercy, onde Ariana Grande irá atuar.  A polícia irá apoiar os agentes de segurança na revista ao público, de acordo com o departamento de segurança de Paris. Haverão ainda patrulhas à paisana nas áreas de espera junto ao local do concerto.

Em Portugal, o concerto também vai contar com segurança reforçada. Segundo o Observador, a PSP já tem preparado o dispositivo especial para o espetáculo de domingo, 11 de junho, no MEO Arena, em Lisboa. Apesar de não estarem identificados "riscos", haverá um "reforço das medidas de segurança", sendo que os incidente com carros e camiões são uma das principais preocupações.

De acordo com as autoridades, não haverá qualquer tolerância para as deslocações junto do MEO Arena, estando previsto o corte do trânsito na Alameda dos Oceanos.

Ao Observador, o intendente Hugo Palma, porta-voz da direção nacional, explicou que a PSP vai repetir o modelo de segurança que tem vindo a ser aplicado em grandes eventos, como festivais e concertos.

Além do trabalho no terreno, a PSP tem em marcha uma monitorização online de radicais, não tendo sido identificadas quaisquer referências ao concerto do próximo domingo.

O concerto no MEO Arena, em Lisboa, será o primeiro da cantora em Portugal, remarcado depois ter falhado presença no ano passado no Rock in Rio Lisboa, alegando "motivos de doença".

Em declarações à agência Lusa, o promotor do concerto, Álvaro Covões, escusou-se a referir se vai reforçar a segurança nos eventos que promove, por razões profissionais: "Não se deve discutir a segurança na praça pública. Na maioria dos grandes eventos, o público tem sentido um forte dispositivo de segurança e há sempre planos de emergência aprovados pelas autoridades".

Atriz e cantora, Ariana Grande começou por participar em espectáculos da Broadway ainda na adolescência e no canal de televisão Nichelodeon. Chegou a ser apelidada de "mini Mariah Carey", pelos dotes vocais e pela aproximação ao R&B, embora seja hoje uma cantora do universo pop, com uma base de fãs que inclui muitas crianças e adolescentes.

A par do trabalho em séries televisivas, Ariana Grande editou três álbuns: “Yours truly” (2013), “My everything” (2014) e "Dangerous Woman" (2016), que dá o nome à atual digressão.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.